Chileno preso em desabamento de mina há 10 anos lembra dia em que voltou a ver a luz

Mario Sepúlveda posa para foto durante entrevista em Santiago

Por Reuters TV

SANTIAGO (Reuters) – O resgate espetacular de 33 mineiros que ficaram presos no subsolo durante dois meses no deserto chileno do Atacama uma década atrás rendeu manchetes em todo o mundo.

Um dos sobreviventes relembrou, em uma entrevista concedida à Reuters na segunda-feira, o drama dos últimos momentos antes de seu resgate, quando foi içado por uma fenda estreita na rocha em uma cápsula criada para este fim.

Mario Sepúlveda, líder do grupo e o segundo homem a ser resgatado, lembrou do medo que sentiu enquanto a cápsula o erguia para fora da escuridão por não saber se o plano funcionaria.

“Na saída, foi terrível, terrível”, disse Sepúlveda. “Gritei. Só queria sair, ver a luz”.

Ele e outros mineiros ficaram presos após o desabamento do dia 5 de agosto de 2010 na mina de San José, localizada entre colinas desertas e poeirentas próximas da cidade de Copiapó, cerca de 800 quilômetros ao norte de Santiago.

Ninguém sabia se os mineiros estavam vivos ou mortos até eles conseguirem enviar uma nota à superfície por meio de uma sonda enviada pelas autoridades em 22 de agosto.

“Estamos bem no abrigo, os 33 de nós”, dizia a nota escrita com tinta vermelha.

Desde então, os mineiros se tornaram celebridades e sua história rendeu um filme, no qual o espanhol Antonio Banderas interpreta Mario Sepúlveda.

(Por Natalia Ramos e Reuters TV)

tagreuters.com2020binary_LYNXMPEG9C1UH-BASEIMAGE