Dólar sobe quase 2% e cede após intervenção do BC

SÃO PAULO, SP (FOLHAPRESS) – O dólar voltou a subir ante moedas emergentes nesta terça-feira (13), com a interrupção dos testes da vacina da Johnson & Johnson contra a Covid-19 por um efeito adverso grave em um voluntário no exterior.

O mercado espera a rápida introdução de uma vacina para uma recuperação robusta das economias. Em setembro, os testes da vacina da Universidade de Oxford em parceria com a AstraZeneca também foram interrompidos por motivo semelhante.

Com a notícia, o dólar chegou a subir 1,8%, a R$ 5,6270, mas reduziu alta no fechamento para 0,970%, a R$ 5,5810, após intervenção do Banco Central, que vendeu US$ 560 milhões à vista para conter a desvalorização do real. Esta é a primeira operação do tipo desde 28 de setembro, quando a moeda estava R$ 5,6390.

Também contribuiu para o viés negativo no mercado a falta de acordo entre republicanos e democratas para um novo pacote de estímulo econômico nos Estados Unidos.

A presidente da Câmara dos EUA, Nancy Pelosi, rejeitou a última oferta do presidente Donald Trump sobre o projeto, o que deixa um acordo bipartidário sobre a medida de alívio improvável antes da eleição presidencal de novembro.

Com o cenáro negativo, investdores realizaram ganhos da véspera, que contou com forte alta de empresas de tecnologa nos EUA. Nesta sessão, S&P 500 recuou 0,63%, Dow Jones, 0,55% e Nasdaq, 0,10%. As ações da Johnson & Johnson caíram 2,3%.

Os papéis da Apple recuaram 2,6%, após alta de mais de 6% na véspera. Nesta terça, a empresa mais valiosoa do mundo apresentou o novo modelo de iPhone, com capacidade 5G.

Ações de Bancos americanos também recuaram. J.P. Morgan caiu 1,6%, após ressaltar em seu resultado trimestral que o aumento em sua reserva não reflete uma melhora na economia.

O banco americano reservou US$ 611 milhões (R$ 3,4 bilhões) para eventuais perdas com empréstimos, menos do que os US$ 10,5 bilhões (R$ 58,6 bilhões) que reservou para perdas futuras no trimestre anterior.

O lucro líquido do J.P. Morgan subiu para US$ 9,44 bilhões (R$ 52,7 bilhões), de US$ 9,1 bilhões (R$ 50,8 bilhões) no mesmo período de 2019.

Já o Citigroup recuou 4,8%, reportando aumento dos gastos no terceiro trimestre e uma queda de 34% no lucro, pressionado por queda nos juros e fraqueza na demanda por crédito. O lucro líquido do grupo caiu para US$ 3,23 bilhões (R$ 18 bilhões), ante US$ 4,91 bilhões (R$ 27,4 bilhões) um ano antes.

Em volta de feriado, o Ibovespa refletiu a alta das Bolsas globais na véspera e subiu 1,05%, a 98.502 pontos.

Na segunda, o índice que acompanha o Ibovespa em dólares (MSCI Brazil) subiu 1,2%. Já o Dow Jones Brazil Titans 20, que reúne as principais ADRs (recibo de ação negociado nos EUA) brasileiras, teve alta de 0,75%.

Nesta sessão, as ações do Magazine Luiza, cujo desdobramento de ações ocorre amanhã, subiram 6%, a R$ 104.

A maior alta do índce porém foi da B2W, com valorzação de 6,7%, a R$ 95.

“Nessa semana, começa a temporadas de balanços no mundo, e o mercado os está acompanhando como uma previsão do que iremos observar no Brasil. Há uma visão otimista quanto às empresas de ecommerce com a possibilidade de resultados acima do esperado. Espera-se aumento da representatividade das receitas vindas do varejo online, com melhora dos níveis de eficiência, a medida que as empresas vão transformando suas estruturas operacionais”, diz Igor Cavaca, analista da Warren.

Em sua estréia na Bolsa, o Grupo Mateus fechou em queda de 0,33%, a R$ 8,94, após subir mais de 5%.

Os papéis da companhia iniciaram na B3 cotados em R$ 8,97, no piso da faixa indicativa de preço.

“Pela oferta ter saído no piso da faixa indicativa, a nossa expectativa é que pudesse ter uma valorização nesse primeiro dia de pregão. No entanto, a atenção do mercado para o setor de ecommerce e varejo digital no dia,pode ter impactado a percepção sobre a empresa, que é focada em varejo físico” diz Cavaca

A companhia de supermercados realizou sua abertura de capital na semana passada e teve o maior IPO (oferta pública inicial de ações) até agora, com captação de R$ 4,63 bilhões.

A oferta do Grupo Mateus supera a da Hidrovias do Brasil, que levantou R$ 3,4 bilhões em seu IPO em setembro até então, o maior do ano. Também é a maior oferta desde a abertura de capital da BR Distribuidora, em dezembro de 2017.