Ativista africano que copiou cena de ‘Pantera Negra’ em museu é multado em Paris

SÃO PAULO, SP (FOLHAPRESS) – O ativista congolês Mwazulu Diyabanza foi multado em EUR 1.000 (equivalente a R$ 6,5 mil) por coordenar a ação de resgate a um poste funerário no Museu do Quai Branly, em Paris, na França, em junho. A decisão foi decretada pelo Tribunal Criminal de Paris nesta quarta-feira (14) e divulgada pelo site do jornal Le Monde.

Condenado por furto qualificado, Diyabanza é conhecido como o líder do grupo ativista que copiou cena de ‘Pantera Negra’ ao resgatar obras africanas de museus europeus. Outros três ativistas receberam multas suspensas, nos valores de EUR 250 (R$ 1.635), EUR 750 (R$ 4.906) e EUR 1.000.

Segundo um advogado do grupo, muitos materiais que compõem os acervos institucionais da França são provenientes de roubo. O juíz que ordenou multar Diyabanza, no entanto, disse que “há outras maneiras de chamar a atenção dos políticos e do público”, informou a agência de notícias AFP.

Em uma recente entrevista ao The New York Times, Diyabanza disse que a fúria o levou a pegar o objeto, em um ato espontâneo e não premeditado, e que ele escolheu o poste porque era facilmente acessível e não estava preso no lugar.

“Nós iremos buscar nossas obras de arte e nosso legado em qualquer lugar”, afirmou ele.