Bolsas da Ásia seguem NY e fecham majoritariamente em baixa

As bolsas da Ásia e do Pacífico fecharam majoritariamente em baixa nesta quarta-feira, seguindo os mercados acionários de Nova York, que ontem ficaram no vermelho pela primeira vez em cinco pregões após a interrupção de testes com possíveis tratamentos para o novo coronavírus.

Na China continental, o índice Xangai Composto caiu 0,56% hoje, a 3.340,78 pontos, enquanto o menos abrangente Shenzhen Composto recuou 0,60%, a 2.290,40 pontos. Em discurso nesta quarta, o presidente chinês Xi Jinping, prometeu novas medidas para promover o desenvolvimento do maior centro tecnológico do país, Shenzhen, em meio a desavenças com Washington que prejudicaram o acesso de Pequim a componentes e serviços dos EUA.

Em outras partes da Ásia, o Kospi teve queda de 0,94% em Seul, a 2.380,48 pontos, após o banco central sul-coreano manter seu juro básico na mínima histórica de 0,50%, e o Taiex perdeu 0,21% em Taiwan. Por outro lado, o japonês Nikkei subiu 0,11% em Tóquio, a 23.626,73 pontos, e o Hang Seng avançou 0,07% em Hong Kong, a 24.667,09 pontos, após não operar ontem devido a um alerta de tufão.

Em Wall Street, as bolsas americanas terminaram os negócios de terça-feira em baixa, interrompendo uma sequência de quatro sessões de valorização, após Johnson & Johnson e Eli Lilly decidirem suspender testes com possíveis tratamentos para a covid-19 devido a preocupações com segurança. O revés veio num momento de aumento de casos de infecção pelo coronavírus nos EUA e em boa parte da Europa.

Na Oceania, a bolsa australiana acompanhou o viés negativo da Ásia, dando fim a uma sucessão de sete pregões de ganhos. O S&P/ASX 200 caiu 0,27% em Sydney, a 6.179,20 pontos, pressionado por ações de grandes bancos domésticos. (Com informações da Dow Jones Newswires e Associated Press).