Trigo toca maior nível desde 2014 em Chicago por preocupação com oferta global

.

Por Tom Polansek

CHICAGO (Reuters) – Os contratos futuros do trigo negociados em Chicago avançaram para o maior nível em quase seis anos nesta sexta-feira, à medida que o tempo seco em importantes regiões produtoras do cereal em todo o mundo alimentava preocupações relacionadas à oferta.

Os futuros do milho terminaram o dia em queda, após atingirem uma máxima de 14 meses em meio a perspectivas de firmes vendas dos Estados Unidos para a China, enquanto a soja também recuou.

Operadores têm se mantido atentos aos campos de cultivo de trigo, já que a seca ameaça a produção na Argentina, nas Planícies norte-americanas e na região do Mar Negro.

Compras por fundos de commodities ajudaram a sustentar os ganhos no mercado, disseram analistas, com o contrato mais ativo do trigo negociado na bolsa de Chicago avançando 15% em relação ao mês passado.

“O mercado do trigo foi incrivelmente resiliente nesta semana… Toda vez que ameaçava recuar, acabava subindo”, disse Matt Wiegand, corretor de commodities da FuturesOne.

O vencimento mais ativo do trigo fechou em alta de 7 centavos de dólar, a 6,2525 dólares por bushel, após tocar a marca de 6,3075 dólares, maior nível desde dezembro de 2014.

O milho recuou 1,75 centavo, para 4,02 dólares o bushel, depois de atingir 4,09 dólares, máxima desde agosto de 2019.

A soja teve queda de 12,25 centavos, para 10,50 dólares/bushel, depois de avançar para o mais alto nível desde março de 2018 na semana passada.

(Reportagem de Tom Polansek em Chicago, Colin Packham em Sydney e Sybille de La Hamaide em Paris)

((Tradução Redação São Paulo, 55 11 56447745))

REUTERS GA LC

tagreuters.com2020binary_LYNXMPEG9F1WB-BASEIMAGE