Ana Sátila conquista ouro inédito em etapa da Copa do Mundo de Canoagem Slalom

O Brasil retornou ao pódio da etapa de Ljubljana, na Eslovênia, da Copa do Mundo de Canoagem Slalom. Depois de Pedro Gonçalves, o Pepê, levar o ouro no K1 Extremo e o bronze no K1 (caiaque individual, prova olímpica) no sábado, Ana Sátila conquistou o título inédito no C1 (canoa individual) neste domingo, prova que vai fazer sua estreia nos Jogos Olímpicos de Tóquio em 2021.

Ana Sátila completou a prova em 93s64, ainda teve um toque na baliza sete, mesmo assim foi dominante e obteve vantagem de 1s73 segundos para a segunda colocada, a francesa Lucie Prioux. A medalha de bronze foi para a americana Evy Leibfarth. A brasileira, assim, se recuperou do tropeço na prova do K1 no sábado, quando perdeu uma porta, recebeu uma penalidade de 50 segundos e terminou em nono lugar.

“Estou muito contente com o resultado. Sair daqui com uma medalha de ouro é muito importante pra mim. No sábado eu tinha competido pelo K1 e perdi a ultima baliza, superei o erro e coloquei forças para buscar esse ouro. As medalhas do Pepe também me inspiraram para conquistar essa hoje”, festejou Ana Sátila.

Foi o primeiro ouro de Ana Sátila em uma prova olímpica em etapas da Copa do Mundo e a quinta medalha no total. Ela já tinha conquistados duas pratas no K1 e dois bronzes no C1.

Além de Pepe e Ana Sátila, Felipe Borges e Mathieu Desnos representaram o Brasil no evento. Ambos não disputaram as finais. Borges competiu também nesse domingo e ficou em 12º lugar pelo C1 (canoa individual). Já Desnos disputou o K1 no sábado e finalizou a prova no 17º lugar.

O próximo compromisso para os atletas da seleção brasileira de canoagem slalom será a segunda etapa da Copa do Mundo, de 6 a 8 de novembro, disputada em Pau, na França, onde foi realizado o Mundial de 2017.

Os canoístas estão há praticamente um mês no continente europeu. Eles integram a Missão Europa, programa do Comitê Olímpico Brasileiro (COB) que levou atletas brasileiros de diversas modalidades para o Velho Continente para garantir a continuidade de treinos e competições.

Tacen entra para a história da Canoagem Brasileira
Além do ouro da Ana Sátila pelo C1, Pedro Gonçalves garantiu duas medalhas para o Brasil, um ouro no K1 Extremo e uma medalha de bronze pelo K1 (caiaque individual). No K1, modalidade que o Pepe irá disputar nos Jogos Olímpicos Tóquio 2020 ele fez a descida mais rápida da prova, mas na penúltima baliza ele teve um toque, com isso seu tempo teve um acréscimo de 2 segundos por causa da penalidade e ficou com o bronze. Quem garantiu a medalha de ouro foi o atleta sueco Isak Ohrstrom, já o esloveno Peter Kauzer ficou com a prata.

Já pelo K1 Extremo, ele fez bonito, nessa prova onde há a disputa remada a remada com quatro atletas na água ele foi insuperável, ele ficou na dianteira dos atletas Martin Stanovky do Cazaquistão que garantiu a prata e Tren Long dos Estados Unidos que ficou com o bronze. Pepe em 2019 foi eleito o melhor atleta do mundo na modalidade.