Delegado Pazolini e João Coser vão para o segundo turno em Vitória
Últimas Notícias

Delegado Pazolini e João Coser vão para o segundo turno em Vitória

VITÓRIA, ES (FOLHAPRESS) – O segundo turno das eleições na capital do Espírito Santo será disputado entre o deputado estadual Delegado Pazolini (Republicanos) e o ex-prefeito João Coser (PT). Com 100% das urnas apuradas, Pazolini tem 30,95% dos votos, contra 21,82% de Coser.

A corrida eleitoral com 14 candidatos seguiu muito embolada nas pesquisas do Ibope, com o deputado estadual Gandini (Cidadania), candidato do atual prefeito Luciano Rezende (Cidadania), chegando a liderar em dado momento. Fora do páreo, foi um protagonista até o último minuto.

A candidatura de Gandini desidratou nas últimas semanas: o candidato liderou um evento que aglomerou 2.000 pessoas e dias depois apareceu contaminado com Covid-19, junto de seu vice e do atual prefeito; os três precisaram ficar duas semanas longe do eleitor.

Além disso, a prefeitura e o estúdio onde Gandini gravou programas eleitorais foram alvos de uma ação de busca e apreensão da Polícia Federal. O objetivo foi recolher provas para apurar se houve abuso de poder político e econômico ou “superfaturamento nas subcontratações” de empresas de publicidade e de pesquisas para beneficiar a campanha de Gandini. Ele nega as acusações.

O contrário aconteceu com Pazolini, que veio apresentando uma curva ascendente. Tanto que os momentos mais ruidosos da campanha surgiram de ataques a ele. Gandini buscou trazer à baila que, caso Pazolini seja eleito, seu suplente na Assembleia Legislativa será o ex-deputado Marcos Madureira, ligado ao ex-presidente da Casa, José Carlos Gratz.

Gratz foi condenado por desvios de recursos dos cofres públicos da Assembleia no período de 1999 a 2002. Gandini, portanto, tentou colar em Delegado Pazolini o adesivo de volta da “Era Gratz”. Como contra-ataque, Pazolini conseguiu apoio do ex-desembargador federal Henrique Herkenhoff, envolvido no combate à corrupção na “Era Gratz”. Ele foi à TV defender o delegado.

Pazolini ganhou fama pela prisão de pedófilos durante sua atuação como titular na Delegacia de Proteção à Criança e ao Adolescente. Segundo deputado mais votado em 2018, com 43.293 votos, foi um dos parlamentares que entraram numa unidade de saúde para fazer uma vistoria por conta própria um dia depois de o presidente estimular a população a invadir hospitais para filmar oferta de leitos da Covid-19.

No espectro da esquerda, o ex-prefeito João Coser (PT) garantiu o segundo turno com uma tentativa de campanha majoritariamente leve e jovem. Ele chegou a criar uma conta no aplicativo de relacionamentos Tinder em busca de se aproximar do eleitorado mais novo. O ex-presidente Lula apareceu muito pouco na campanha: uma vez pedindo voto e na outra por conta do seu aniversário.

Na campanha, Coser andou pela periferia. No comando de Vitória de 2005 a 2012, o petista deixou a prefeitura sem entregar a maior promessa da então campanha, a construção de um metrô de superfície. Agora, aposta no mote “Foi João que fez”, relembrando feitos como a revitalização do centro histórico e a construção da ponte estaiada de Vitória, cartão-postal da capital capixaba.

Também disputaram a preferência do eleitorado o ex-secretário da Segurança Pública Nylton Rodrigues (Novo), o vice-prefeito Sérgio Sá (PSB), a vereadora de cinco mandatos Neuzinha (PSDB), o vereador Mazinho dos Anjos (PSD), o professor Raphael Furtado (PSTU), o ex-vereador Namy Chequer (PC do B), o engenheiro Halpher Luiggi (PL), o aposentado Gilbertinho Campos (Psol), o empresário Eron Domingos (PRTB) e o advogado Fábio Louzada (MDB).

To Top