Não adianta abrir escola com segurança e alunos participarem de festas, diz secretário de Educação
Últimas Notícias

Não adianta abrir escola com segurança e alunos participarem de festas, diz secretário de Educação

SÃO PAULO, SP (FOLHAPRESS) – A alta de casos confirmados e suspeitos de coronavírus em escolas particulares de São Paulo está sendo monitorada pelo governo estadual, que avalia o repique como um reflexo do relaxamento da quarentena por parte das famílias.

Nesta semana, ao menos três colégios particulares suspenderam as aulas presenciais depois da confirmação de casos entre seus alunos e professores. Os diretores das unidades disseram que o aumento ocorreu após estudantes terem participado de festas e eventos sociais.

“Estamos monitorando essas situações. O que sabemos é que a transmissão não se deu dentro dessas escolas. Parece que as pessoas esqueceram que ainda estamos em pandemia”, disse Rossieli Soares, secretário de Educação de São Paulo, nesta quarta-feira (18) durante evento de inauguração de centro educacional.

“Não adianta a gente abrir escola com toda a segurança e depois os alunos participarem de festas, esquecerem que estamos em uma pandemia. É preciso separar e não trazer para a escola uma culpa que não é dela”, afirmou.

Segundo ele, os casos de escola com alta de casos ainda são pontuais. A suspensão das atividades presenciais foi anunciada pelos colégios Gracinha, Graded e São Luís. Os dois primeiros registraram casos de infecção e o terceiro não confirmou se teve alunos ou funcionários contaminados.

Segundo Soares, na rede estadual de ensino não há o registro de nenhum caso de transmissão dentro das escolas. O programa de testagem que está sendo feito dentro das unidades confirmou casos em 26 alunos e professores, mas sem a contaminação de outras pessoas no espaço escolar.

“Não tivemos nenhuma transmissão entre professores, nem dentro da escola, o que mostra que o caminho certo é o retorno gradual, com um número reduzido de estudantes”, disse.

Na Graded School, no Morumbi, as atividades presenciais foram suspensas depois de seis alunos terem recebido resultado positivo para Covid-19 e 17 professores apresentarem suspeita de contaminação. A unidade havia retomado as aulas presenciais regulares para alunos do ensino médio.

Desde a segunda semana de novembro, São Paulo tem registrado tendência de aumento de internações por Covid-19. A elevação, que começou em hospitais privados, passou a ser observada também na rede pública municipal.

“A quarentena comportamental é fundamental para que a gente continue vencendo a pandemia. Por isso, a gente tem reforçado o apelo para que as pessoas respeitem o distanciamento social e os cuidados necessários”, disse o vice-governador, Rodrigo Garcia.

Nesta quarta, o governo de São Paulo inaugurou o 1º Centro de Inovação da Educação Básica Paulista, em uma escola estadual em Perdizes, na zona oeste de São Paulo. Com investimento privado de cerca de R$ 1 milhão, o local conta com laboratórios e equipamentos tecnológicos.

O governo promete entregar mais 14 centros como esse no próximo ano no interior do estado. O objetivo é de que essas unidades recebam alunos de outras escolas para que coloquem em prática projetos com o uso de ferramentas como impressora 3D, materiais de robótica, entre outros.

To Top