Trump demite principal autoridade de segurança cibernética dos EUA por negar fraude em eleição
Elections

Trump demite principal autoridade de segurança cibernética dos EUA por negar fraude em eleição

Por Joseph Menn e Christopher Bing

SÃO FRANCISCO/WASHINGTON (Reuters) – O presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, demitiu na terça-feira a principal autoridade de segurança cibernética do país em uma mensagem no Twitter, acusando-o, sem evidências, de fazer uma declaração “altamente imprecisa” por afirmar que a eleição de 3 de novembro foi segura e rejeitar alegações de fraude.

Trump fez alegações infundadas de que a eleição foi “fraudada” e se recusou a conceder a derrota ao presidente eleito Joe Biden. Sua equipe de campanha ingressou com ações judiciais em Estados-chave, embora autoridades eleitorais de ambos os partidos tenham dito não ver evidências de irregularidades graves.

O trabalho de Chris Krebs para proteger a eleição de hackers e combater a desinformação sobre o voto ganhou elogios de parlamentares de ambos os partidos, bem como de autoridades estaduais e eleitorais em todo o país. Mas ele atraiu a ira de Trump e seus aliados, que estavam irritados com sua recusa em apoiar as alegações de interferência eleitoral.

A Reuters noticiou na semana passada que Krebs havia dito a pessoas próximas que esperava ser demitido.

Trump disse no Twitter que Krebs havia garantido às pessoas em uma declaração “altamente imprecisa” que a eleição havia sido segura, quando havia “grandes impropriedades e fraudes –incluindo pessoas mortas votando, fiscais de urna proibidos em locais de votação” e erros nas urnas eletrônicas que trocaram votos de Trump para Biden.

Na segunda-feira, dezenas de especialistas em segurança eleitoral divulgaram uma carta dizendo que as alegações de grandes invasões cibernética não se sustentam e parecem absurdas.

O Twitter colocou avisos de alerta nas postagens de Trump, observando: “Esta afirmação sobre fraude eleitoral é questionável”.

Krebs comandava a Agência de Segurança Cibernética e Segurança de Infraestrutura do Departamento de Segurança Interna (Cisa) desde sua criação, dois anos atrás.

Ele revoltou a Casa Branca por causa de um site administrado pela Cisa batizado de “Controle de Rumores” que refuta a desinformação sobre a eleição, de acordo com três pessoas a par do assunto.

Um porta-voz da Cisa disse que a agência não tem comentários.

Krebs não foi informado do plano de Trump de demiti-lo, segundo uma pessoa a par da questão, e soube da decisão pelo Twitter. Matthew Travis, vice de Krebs e número dois da agência, renunciou na noite de terça-feira.

O diretor-executivo da Cisa, Brandon Wales, deve assumir o lugar de Krebs como chefe interino da agência nesta quarta-feira, disse uma autoridade da agência à Reuters sob condição de anonimato.

Um porta-voz do presidente eleito Joe Biden afirmou: “Chris Krebs deve ser elogiado por seus serviços na proteção de nossas eleições, não demitido por dizer a verdade.”

(Reportagem adicional de Elizabeth Culliford)

tagreuters.com2020binary_LYNXMPEGAH0RL-BASEIMAGE

To Top