Preços do petróleo tocam máximas de 11 meses com cortes de produção sauditas
Agro

Preços do petróleo tocam máximas de 11 meses com cortes de produção sauditas

Por Laura Sanicola

NOVA YORK (Reuters) – Os preços do petróleo atingiram máxima de 11 meses nesta quinta-feira, com o mercado mantendo o foco na inesperada promessa de cortes de bombeamento pela Arábia Saudita e nos movimentos de alta nos mercados acionários, deixando de lado as turbulências políticas nos Estados Unidos.

O petróleo Brent fechou em alta de 0,08 dólar, a 54,38 dólares por barril, após atingir a marca de 54,90 dólares, nível que não era visto desde a imposição dos primeiros lockdowns relacionados à Covid-19 no ocidente.

Já o petróleo dos EUA (WTI) avançou 0,20 dólar, para 50,83 dólares o barril, depois de tocar uma máxima de 51,28 dólares na sessão.

Na quarta-feira, apoiadores do presidente norte-americano, Donald Trump, invadiram o Capitólio do país em protesto contra a validação da derrota de Trump na eleição presidencial, para Joe Biden. Os preços do petróleo chegaram a registrar firme queda durante a agitação.

Nesta semana, porém, as cotações da commodity têm sido apoiadas por uma promessa da Arábia Saudita, maior exportadora de petróleo do mundo, de reduzir sua produção em mais 1 milhão de barris por dia (bpd) em fevereiro e março.

“Até o mês que vem, este mercado de alta pode se restabelecer em níveis mais elevados, em função principalmente do benefício do inesperado corte voluntário de produção de 1 milhão de bpd pela Arábia Saudita”, disse Jim Ritterbusch, presidente da Ritterbusch and Associates em Galena, Illinois.

(Reportagem adicional de Noah Browning e Aaron Sheldrick)

tagreuters.com2021binary_LYNXMPEH061I4-BASEIMAGE

To Top