Alta de barômetros globais em janeiro confirmam retomada, diz FGV
Economia

Alta de barômetros globais em janeiro confirmam retomada, diz FGV

portalmixvalenoticias-1280x728-1

Os Barômetros Globais Coincidente e Antecedente da Economia subiram em janeiro, informou a Fundação Getulio Vargas (FGV), sinalizando para a continuidade do processo de recuperação da economia global em meio ao otimismo com o início da vacinação em diversos países. O Barômetro Global Coincidente subiu 1,1 ponto, ao passar de 93,9 pontos para 95,0 pontos, revertendo a queda registrada em dezembro. Já o Barômetro Global Antecedente subiu 6,1 pontos, para 111,6 pontos.

“Enquanto os efeitos das medidas de distanciamento social decorrentes da segunda onda da pandemia explicam o resultado modesto do barômetro Coincidente, o início do processo de imunização em alguns países justifica as expectativas favoráveis que sustentam o desempenho positivo do barômetro antecedente”, diz a nota divulgada nesta sexta-feira pela FGV.

O Barômetro Coincidente, que procura acompanhar o ritmo da atividade econômica, registrou altas em todas as regiões do mundo. A Europa foi o destaque, contribuindo em 0,7 ponto (ou 64%) para a alta do resultado agregado. A segunda maior contribuição veio da região da Ásia, Pacífico & África, contribuindo em 0,3 ponto para o resultado (26%). O indicador do Hemisfério Ocidental continua em alta, mas contribuiu com apenas 0,1 ponto no resultado agregado.

“Campanhas de imunização contra covid-19 tiveram início em diversos países da região, mas o resultado temporariamente desfavorável na corrida entre a vacinação da população e a pandemia pode ter influenciado para o tímido resultado do indicador regional”, diz a nota da FGV.

No Barômetro Antecedente, que mede as perspectivas de crescimento econômico nos próximos três a seis meses, a região do Hemisfério Ocidental caminhou na contramão das demais regiões e contribui de forma negativa para o resultado agregado. A região da Ásia, Pacífico & África foi responsável por mais de 90% da alta do indicador agregado em janeiro. A Europa contribuiu com 0,7 ponto, ou 12%. Segundo a FGV, o desempenho negativo no Hemisfério Ocidental foi “reflexo da morosidade nos planos de vacinação em alguns países e do cenário crítico da pandemia no Brasil e nos Estados Unidos”.

Calculados em parceria com o Instituto Econômico Suíço KOF da ETH Zurique, e divulgados no Brasil pela FGV, os dois indicadores são formados a partir dos resultados de pesquisas de tendências econômicas realizadas em mais de 50 países. O objetivo é alcançar a cobertura global mais ampla possível. O Barômetro Coincidente inclui cerca de mil séries temporais diferentes, enquanto o Barômetro Antecedente compreende em torno de 600 séries temporais.

To Top