"A bola bate na mão, mas o juiz acertou", diz Rony sobre pênalti anulado
Últimas Notícias

“A bola bate na mão, mas o juiz acertou”, diz Rony sobre pênalti anulado

portalmixvalenoticias-1280x728-1

SÃO PAULO, SP (UOL/FOLHAPRESS) – Destaque do Palmeiras na Copa Libertadores da América com gols decisivos, Rony virou protagonista no setor defensivo contra o Sport, na Ilha do Retiro, pelo Brasileirão. Nos instantes finais da partida que terminou com vitória alviverde por 1 a 0, ele teria cometido um pênalti ao bater com o braço na bola. Mas a infração foi anulada pelo árbitro, gerando uma grande confusão em campo.

Após a partida, que terminou com vitória do Palmeiras por 1 a 0, Rony assumiu o toque com a mão, mas elogiou a postura do árbitro Dyorgines Jose Padovani de Andrade, que cancelou a marcação de pênalti após consulta ao VAR.

“A bola pegou na minha mão. O nosso zagueiro foi tirar a bola, mas o lance é tão rápido que não tem como tirar o braço”, explicou Rony, autor de dez gols na temporada. “E tem o VAR para isso, para corrigir o que o árbitro errou. Se ele marca, seria prejudicado porque todo mundo viu que não tinha como tirar o braço, então ele está de parabéns.”.

Autor de um dos gols da vitória por 3 a 0 sobre o River Plate, na terça-feira passada (5), pela semifinal da Libertadores, Rony entrou no decorrer do segundo tempo no duelo diante do Sport. Mas o Palmeiras nem precisou de seu trabalho para sair com vitória da capital pernambucana. O triunfo foi garantido com um gol de Willian ainda no primeiro tempo.

“Estou feliz pelo resultado, e a confiança só aumenta. A equipe que entrou jogando soube suportar a pressão do Sport. Jogar aqui é difícil pelo calor. Então a equipe está de parabéns pela grande vitória que conquistou”, comentou o atacante após a vitória que deixou o Palmeiras a nove pontos do líder São Paulo.

A mesma alegria não pôde se ver do outro lado. O goleiro Luan Polli reclamou da arbitragem e acredita em uma sequência de erros contra o Sport.

“A gente tem sofrido muito com a arbitragem. Não foi nesse jogo ou no passado. Há alguns jogos vem se esticando. E algumas coisas têm que ser revistas. São pênaltis contra a gente que eles usam outro critério. E a favor eles mudam”, reclamou.

“Aqui, claramente a bola pegou na mão. Contra o Santos a gente teve um pênalti contra no começo que foi muito menos que esse. A gente está trabalhando, lutando para sair da zona da confusão, e algumas coisas extracampo estão nos prejudicando.”

Com o tropeço, o Sport segue pressionado na luta contra o rebaixamento. O time pernambucano soma 32 pontos e está quatro à frente do Bahia, que é o primeiro time do grupo dos últimos quatro colocados.

To Top