Grãos recuam em Chicago com chuvas na América do Sul antes de dados do USDA
Agro

Grãos recuam em Chicago com chuvas na América do Sul antes de dados do USDA

Por Karl Plume

CHICAGO (Reuters) – Os contratos futuros da soja negociados em Chicago recuaram de máximas de seis anos e meio nesta segunda-feira, diante de chuvas favoráveis aos cultivos na América do Sul e à medida que investidores ajustam posições antes do aguardado relatório do governo dos Estados Unidos com projeções de safras, que será publicado na terça-feira.

Os futuros do milho e trigo também se afastaram das máximas de vários anos registradas na semana passada, pressionados pela valorização do dólar e pelas boas chuvas vistas na América do Sul no final de semana, enquanto o mercado aguarda os relatórios do Departamento de Agricultura norte-americano (USDA, na sigla em inglês).

Com publicação prevista para as 14h (horário de Brasília) de terça-feira, os números do USDA deverão mostrar um aperto nas ofertas de importantes produtos agrícolas e podem indicar maior demanda por parte de grandes importadores.

“No total, as chuvas do final de semana (no Brasil e Argentina) parece que ficaram um pouco acima das expectativas”, disse Brian Basting, analista da Advance Trading. “Uma chuva só não faz uma safra, mas certamente tira força do mercado antes dos relatórios de amanhã”.

O contrato março da soja fechou em queda de 2,25 centavos de dólar, a 13,7250 dólares por bushel, após tocar máxima de 13,8875 dólares no início da sessão, maior patamar para um vencimento mais ativo desde junho de 2014.

O milho para março recuou 4 centavos de dólar, para 4,9225 dólares o bushel, enquanto o vencimento março do trigo também cedeu 4 centavos, para 6,3475 dólares/bushel.

(Reportagem adicional de Gus Trompiz, em Paris, e Naveen Thukral, em Cingapura)

((Tradução Redação São Paulo, 55 11 56447745))

REUTERS GA LC

tagreuters.com2021binary_LYNXMPEH0A1GE-BASEIMAGE

To Top