Quais as melhores criptomoedas para iniciar investimentos?
Agência Brasil

Quais as melhores criptomoedas para iniciar investimentos?

portalmixvalegoogle

Na atual era digital, os gestores estão cientes de que é preciso estar inserido no contexto cada vez mais digitalizado. Hoje em dia, por exemplo, é impossível obter êxito em um negócio sem ter um site à disposição e sem um registro de domínio.

É impossível garantir uma boa presença online para esse site sem um bom serviço de web host por trás. Afinal, esse é um dos recursos fundamentais para qualquer projeto na internet. 

Se hoje em dia tudo está caminhando para a digitalização, o modo como compramos e vendemos produtos e serviços também. A grande quantidade de lojas online está aí para comprovar isso.

Isso ficou ainda mais evidente com a crise de saúde que se instalou no mundo todo por conta da pandemia. Tudo que é voltado para o digital ganhou os holofotes. E não por “modismo”, mas sim por necessidade!

Sobretudo, é nesse contexto que as criptomoedas começam a ganhar mais protagonismo, se tornando muitas vezes fontes lucrativas de investimentos. No presente artigo, iremos abordar várias características sobre esse tema.

  • Criptomoedas – O que são?
  • Conheça as melhores criptomoedas para iniciar investimentos
  • Como é o processo de mineração das criptomoedas

Criptomoedas – O que são?

As criptomoedas nada mais são do que moedas digitais. Elas são um dinheiro virtual, descentralizado. Ao contrário de moedas como o real, o dólar, o euro, entre outras, as criptomoedas não conseguem ser tocadas ou visualizadas.

Isso ocorre porque elas só existem no meio virtual. É óbvio que, devido a essa característica, é difícil não questionar se elas realmente são seguras. Nesse caso, é possível afirmar que sim, as moedas digitais são seguras.

A segurança se deve ao fato de que elas são protegidas por uma tecnologia conhecida como criptografia. Essa tecnologia consiste em uma camada de segurança que impede qualquer tipo de ação fraudulenta.

O interessante é que a criptografia protege a moeda digital ao embaralhar informação de um modo que apenas quem possui o código – também chamado de chave – esteja apto a utilizá-la.

Para se ter uma ideia do quanto é importante a criptografia, basta saber que ela é utilizada nos certificados SSL com o intuito de assegurar a proteção dos dados de clientes em lojas online, tornando as vendas e as compras online mais seguras. 

Para entender melhor sobre como adquirir essa tecnologia de segurança digital, as empresas que atuam oferecendo os serviços de web host disponibilizam o certificado SSL em planos avançados de hospedagem de site. 

Além das empresas de web host, também é possível comprar um certificado SSL com empresas específicas do ramo como a Verisign e a Certising. 

imagem:pixabay

Um pouco da história das criptomoedas

Na prática, a lógica da moeda digital é a mesma do dinheiro não virtual que todos nós já conhecemos há muito tempo. Ou seja, o objetivo da criptomoeda é possibilitar as transações de compra e venda de bens e serviços.

Hoje em dia, por exemplo, algumas empresas, como a DELL, já aceitam receber pagamentos em criptomoeda.

Elas também permitem a transferência de valores por meio da web, sem necessitar efetuar cobranças de taxas por instituições financeiras e bancárias.

Muitas pessoas, por uma questão de hábito, chamam qualquer moeda digital de Bitcoin. Isso ocorre porque a Bitcoin, na realidade, foi a primeira moeda a nascer. 

A Bitcoin foi criada no ano de 2009 por uma pessoa – ou talvez quem sabe por várias pessoas – que usavam o pseudônimo de Satoshi Nakamoto. Em seguida, em 2011, foram criadas outras criptomoedas. São elas a Namecoin e a Litecoin.

No decorrer dos anos seguintes, a curiosidade em relação às moedas digitais fez com que elas se tornassem pautas constantes em sites de negócios e economia. Além disso, no ano de 2014 surgiram mais uma geração de moedas, entre elas estão a Nxt e a Ethereum.

Hoje em dia, além da pioneira Bitcoin, há alternativas de criptomoedas para quem deseja investir nesse dinheiro virtual. Algumas delas são a Ripple, a Monero, a Dash e a Siacon.

Imagem: pixabay

Como é definido o valor de uma criptomoeda? 


Essa é realmente uma dúvida que muitas pessoas têm, inclusive, que se assemelha muito à pergunta sobre o valor do dinheiro “tradicional”. 

Basicamente, o valor de uma moeda, seja ela digital ou não, é definido pela lei da oferta e procura. A Bitcoin é disparada a moeda digital mais conhecida e comercializada, portanto, tem o seu valor maior. 

Outro fator que influencia é a aceitação no mercado, pois quanto mais pessoas, empresas e grupos utilizam uma moeda, maior será o seu valor de mercado. 

A estabilidade (ou instabilidade) de papéis-moedas também interfere no valor final das criptomoedas, pois o panorama financeiro mundial pode fazer o valor da moeda digital flutuar (em geral para mais). 

Por não ter interferências de governos, as criptomoedas só tendem a aumentar de valor. Para entender melhor como uma moeda digital pode valorizar, vale a pena estudar o seu histórico e as movimentações do mercado. 

Para se ter ideia, no ano de 2016 a Bitcoin teve uma valorização de cerca de 85%. Atualmente o seu valor corresponde a uma pequena fortuna, sendo que 1 bitcoin vale mais do que cem mil reais

Essa oscilação deve ser constantemente acompanhada para saber a hora certa de resgatar os valores e assim obter maiores lucros.

Conheça as melhores criptomoedas para iniciar investimentos

Hoje em dia o mundo já conta com várias moedas virtuais e isso promove alternativas seguras para quem pretende investir em criptomoedas. Porém, não basta apenas escolher porque simpatizou com o nome. É necessário conhecer as características de cada uma delas.

Para quem ainda está iniciando a sua jornada no mundo virtual das moedas digitais, vale conhecer um pouco mais sobre algumas das melhores criptomoedas para iniciar investimentos. 

Bitcoin

Nada mais justo do que falar primeiro da moeda digital que abriu os caminhos para as suas “irmãs”. A Bitcoin pode ser trocada por outras moedas convencionais, tais como o dólar, o real, ou o euro, porém essa troca pode ser realizada apenas em transações online.

Desse modo, qualquer tipo de transação efetuada por meio dela, como, por exemplo, compras, vendas e trocas, é realizada via determinadas plataformas online.

Além do mais, é possível utilizar softwares que adotam uma lógica de cálculos para a produção de Bitcoins. Esse software é de código aberto e está disponível para qualquer pessoa.

É interessante também lembrar que, de acordo com os padrões de repetições de Bitcoins nos anos recentes, a tendência é que nos próximos meses, em 2021, ela esteja em alta.

Ethereum

Essa criptomoeda foi criada em 2014 por meio de um projeto de crowdfunding e hoje é uma das mais conhecidas e também uma das mais rentáveis quando o assunto é a mineração de moedas digitais.

Além disso, a Ethereum também pode ser utilizada como uma plataforma para viabilizar aplicações descentralizadas.

Litecoin

Essa moeda é muito semelhante à pioneira Bitcoin. No entanto, apresenta um tempo menor de transição. Ela também é bastante segura, pois compartilha o mesmo código de segurança da sua irmã mais velha, a Bitcoin.

Diante disso, muitas das atualizações feitas para a Bitcoin podem ser possíveis também para a Litecoin.

Pelo fato da Litecoin contar com blocos rápidos e taxas bastante reduzidas, ela é a moeda mais adequada para a comercialização. A Litecoin possibilita a realização de compras rápidas, seguras e taxas baixas. 

Com a Litcoin é possível também enviar valores do Brasil para outros países, tudo de forma rápida e sem burocracia.

Ripple

Ela também pode ser chamada de XRP, porém também conta com uma característica bem interessante que é além de atuar como uma moeda virtual, pode ser ainda uma rede de pagamento que apresenta taxas acessíveis e transação rápida.

Nesse contexto, um dos objetivos principais da Ripple é agilizar a transferência de dinheiro entre países. Essa moeda digital permite financiar as taxas de transação entre instituições financeiras. Diante disso, é possível comprar e vender Ripple.

Monero

É uma criptomoeda criada em 2014 que tem como principal característica garantir o completo anonimato dos usuários. Por trás da Monero está o software Nitrogen Nebula, que possibilita a realização das transações sem nenhum tipo de rastreabilidade.

As transações ocorrem porque são viabilizadas por uma carteira, que atua como o principal método de armazenamento.

BinanceCoin

Os tokens são dispositivos físicos utilizados para gerar senhas temporárias, possibilitando com isso a realização de transações financeiras. Pois bem, a Binance Coin é um token criado pela Binance, uma das maiores exchanges de criptomoedas do mundo.

Sendo assim, de tempos em tempos, a Binance recompra esses tokens que foram vendidos e os destrói.

A vantagem disso é que a escassez de moedas aumenta conforme a demanda. Com isso, os tokens são usados para garantir descontos na Binance. 

Quando a plataforma obtém mais clientes, maior será o potencial de investidores no BinanceCoin.

Saiba também o que é a stablecoin

Além das criptomoedas Litcoin, Bitecoin e outras, também já se fala muito nas stablecoins. De acordo com o que o próprio nome aponta, essas “moedas estáveis” são criptomoedas concebidas para garantir uma baixa volatilidade de valor.

Para isso, algumas stablecoins podem ser até mesmo centralizadas, isso quer dizer que elas podem ser controladas por alguma empresa específica.

Dois exemplos dessas moedas estáveis são a USDC e a Pax Gold. A primeira consiste em uma stablecoin lastreada em dólar americano. 

Devida a essa característica, ela é bastante útil para a realização de transações de cunho internacional.

Já a Pax Gold é uma stablecoin lastreada em ouro. Isso representa um artifício muito vantajoso, pois o ouro é um ativo que mantém o seu valor e normalmente não possui a tendência de oscilação. 

Posto isso, é comum que em momentos de crise e instabilidade financeira, o ouro se torna uma solução bastante utilizada pelos investidores com o objetivo de se manterem longe da inflação e momentos conturbados da economia.

Imagem: pixabay

Como é o processo de mineração das criptomoedas

Quem se aventurar no mundo dos investimentos das moedas digitais vai encontrar pela frente uma palavra muito comum: “mineração”. Não há como escapar, pois a mineração é um dos aspectos mais importantes quando se trata de criptomoedas.

E quando o assunto é mineração, é necessário também ficar por dentro de um outro conceito muito importante: a blockchain.

Blockchain consiste em uma tecnologia que captura todas as transações de moedas digitais, elabora uma cópia e depois distribui essa cópia para cada computador em sua rede. É essa estrutura que torna as criptomoedas seguras e descentralizadas.

Caso uma das cópias seja diferente por causa da manipulação de um registro, a rede recusa a validade dessa transação. 

Esse esquema de proteção não permite que os participantes da rede gastem as mesmas criptomoedas em diferentes transações, impedindo também enviar fundos de criptomoeda de outros usuários para si mesmos.

Posto isso, é aí que entra a mineração. Ela é um procedimento que visa autenticação das transações realizadas. Por meio dela são inseridos novos dados no extenso banco de dados público de transações conhecido como blockchain. 

Em troca, o usuário pode contar com recompensas na forma de moedas digitais. Para conseguir isso, pessoas, grupos ou empresas utilizam rigs de mineração constituídos de hardware e software de mineração.

Na prática, qualquer pessoa pode investir na mineração de criptomoedas. Basta ter à disposição o equipamento adequado.

A criptomoeda será o dinheiro do futuro?

As moedas digitais hoje em dia são uma alternativa de investimento interessante. Elas não contam com a mesma burocracia das moedas tradicionais, que são controladas por instituições financeiras, porém possuem particularidades próprias. 

Por isso, é importante que antes de investir nelas, seja feita uma ampla pesquisa a respeito de como funciona esse processo.

Além das já conhecidas Bitcoin e Litecoin, é óbvio que existem outras não tão conhecidas. Cada uma possui as suas características e oscilações no mercado. 

Portanto, antes de investir, é fundamental permanecer atento a esses detalhes e aproveitar as vantagens que as criptomoedas proporcionam. 

To Top