Registro da CoronaVac deve ser pedido neste mês, diz presidente do Butantan
Asia

Registro da CoronaVac deve ser pedido neste mês, diz presidente do Butantan

Registro da CoronaVac deve ser pedido neste mês, diz presidente do Butantan

A CoronaVac, vacina contra Covid-19 do laboratório chinês Sinovac, deve ter seu pedido de registro solicitado junto à Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) ainda neste mês, disse nesta quarta-feira o presidente do Instituto Butantan, Dimas Covas.

O imunizante, que foi testado no Brasil pelo Butantan e está sendo envasado no país pelo instituto, obteve no fim de semana o registro para uso público da agência regulatória de medicamentos da China. A CoronaVac já está sendo aplicada no Brasil desde 17 de janeiro após autorização para uso emergencial da Anvisa.

“Nós estamos aguardando a tradução do parecer da agência chinesa e com isso complementar o nosso pedido aqui no Brasil”, disse Covas em entrevista coletiva no Palácio dos Bandeirantes, sede do governo paulista.

“Esperamos que o pedido no Brasil do registro possa ser feito ainda neste mês”, acrescentou.

O presidente do Butantan esclareceu que o que será pedido não será um registro definitivo da vacina, pois isso depende do acompanhamento do estudo clínico realizado com o imunizante.

“Na realidade não é um registro definitivo, todos esses registros são registros provisórios. Eles são autorizados, a vacina vira um produto, mas ela ainda tem que ser acompanhada até o final dos estudos clínicos e principalmente o pós-vacinação”, explicou.

Covas disse ainda que o contrato com o Ministério da Saúde para que a pasta exerça a opção de comprar mais 54 milhões de doses da CoronaVac, para além dos 46 milhões já contratados, deve ser assinado em breve.

“O contrato com o ministério foi encaminhado ao governo, ele está no governo aqui neste momento e deve ser devolvido com as observações do governo ainda no dia de hoje”, disse.

“Esperamos que ele seja assinado o mais rapidamente possível”, acrescentou.

Na manhã desta quarta, o Butantan recebeu os insumos para o envase de mais 8,7 milhões de doses da CoronaVac, o que eleva para 27,1 milhões de doses o total atualmente no Brasil, incluindo as doses já entregues ao ministério e o equivalente em matéria-prima que ainda está sendo processada pelo Butantan.

Também presente na coletiva, o governador de São Paulo, João Doria (PSDB), afirmou que o governo estadual entrou com ação no Supremo Tribunal Federal nesta quarta para obrigar a pasta a financiar mais de 3 mil leitos de unidade de terapia intensiva destinados ao tratamento da Covid-19 que foram desabilitados pelo ministério.

tagreuters.com2021binary_LYNXMPEH191PF-BASEIMAGE

To Top