Chefe da Tóquio-2020 renunciará para acabar com polêmica, dizem fontes
Asia

Chefe da Tóquio-2020 renunciará para acabar com polêmica, dizem fontes

Chefe da Tóquio-2020 renunciará para acabar com polêmica, dizem fontes

O presidente do comitê organizador da Olimpíada Tóquio-2020, Yoshiro Mori, renunciará por causa de um comentário sexista que causou revolta, disseram duas fontes nesta quinta-feira, e o ex-primeiro-ministro disse que não pode permitir que a polêmica se arraste.

A renúncia de Mori certamente provocará novas dúvidas sobre a viabilidade de realizar os Jogos, adiados em um ano por causa da pandemia de Covid-19, neste ano.

As fontes, que estão a par do assunto, disseram que Mori será substituído por Saburo Kawabuchi, ex-presidente da Associação Japonesa de Futebol e prefeito da Vila Olímpica.

Kawabuchi, de 84 anos, representou o futebol do Japão na Olimpíada de Tóquio de 1964 e ajudou o país a sediar a Copa do Mundo de 2002 com a Coreia do Sul.

Mori fez o comentário sexista de que mulheres falam demais durante uma reunião do Comitê Olímpico Japonês no início deste mês, desencadeando uma tempestade de críticas em casa e no exterior.

Mori, de 83 anos, disse à Nippon TV que iria “explicar seus pensamentos” em uma reunião na sexta-feira, mas que tinha que lidar com o assunto. Ele não confirmou os relatos de que renunciará.

“Não posso deixar este problema se prolongar mais”, disse ele, que voltou a se desculpar pelo comentário.

Um porta-voz do comitê organizador não quis comentar.

Seu comentário provocou críticas duras no Parlamento, onde parlamentares opositores exigiram sua renúncia, e do público nas redes sociais.

tagreuters.com2021binary_LYNXMPEH1A0XE-BASEIMAGE

To Top