Antecipação do 13º salário do INSS ocorrerá este ano?
Benefícios

Antecipação do 13º salário do INSS ocorrerá este ano?

agência inss

Antecipação do 13º salário do INSS ocorrerá este ano? O Governo anunciou neste começo de ano o valor do aumento aos aposentados e pensionistas do INSS para o ano de 2021: 5,45%. Com isso, o teto do INSS, valor máximo pago pelo instituto, deve subir de R$ 6.101,06 para R$ 6.433,57. Os reajustes das aposentadorias e pensões foram definidos por meio da oficialização da aplicação do INPC (Índice Nacional de Preços ao Consumidor) aos pagamentos. As correções serão aplicadas a partir da competência janeiro, cujos pagamentos terão início nesta segunda-feira, 25, e seguirão até 5 de fevereiro. As datas de pagamento variam conforme o valor a ser recebido e o número final do benefício.

No entanto, nem todos os aposentados e pensionistas do INSS receberão o mesmo aumento em 2021, isso porque quem começou a receber os pagamentos a partir de fevereiro do ano passado terá a correção proporcional à inflação acumulada do mês de início do benefício até dezembro de 2020.

Outra notícia importante aos segurados é que, em 2021, o Governo deve antecipar novamente o 13º salário dos aposentados e pensionistas, seguindo o mesmo formato aplicado em 2020. A proposta de antecipação do pagamento do 13º salário aos beneficiários do INSS é uma medida que tem por objetivo diminuir o impacto negativo da Covid-19 na vida econômica dos brasileiros, sobretudo na dos mais idosos. A expectativa é que a primeira parcela do 13º do INSS seja paga em fevereiro e a segunda no mês de março, sendo que normalmente, o benefício aos aposentados e pensionistas é pago no decorrer do ano, começando a partir do mês de julho. A facilidade que o governo terá de implementar a antecipação do 13º é de que a verba já estava prevista no orçamento deste ano, com isso o pagamento será apenas antecipado, o que não geraria custos extras para o governo.

Por fim, trazemos a notícia de que o INSS prorrogou por mais dois meses a interrupção de bloqueios de pagamento ou suspensão de benefícios por falta de prova de vida. Com a medida, pagamentos que dependem do procedimento não serão suspensos até o fim de março. A suspensão da exigência teve início em março de 2020, quando tiveram início as medidas de isolamento social para conter a disseminação do coronavírus. A nova medida prorroga a interrupção de cortes e de benefícios, por mais duas competências, referentes a janeiro e fevereiro deste ano. Fonte: JusBrasil

To Top