Espanhola Abengoa pede recuperação judicial após credores perderam paciência por acordo
Business

Espanhola Abengoa pede recuperação judicial após credores perderam paciência por acordo

Espanhola Abengoa pede recuperação judicial após credores perderam paciência por acordo

Por Nathan Allen e Jesús Aguado

MADRI (Reuters) – A espanhola Abengoa, que atua nos setores de engenharia e energias renováveis, anunciou nesta segunda-feira que decidiu solicitar de forma voluntária o início de um processo de recuperação judicial, após seus credores se recusarem a ampliar o prazo para as negociações de um acordo de reestruturação.

Uma proposta de reestruturação das dívidas de 6 bilhões de euros (7,30 bilhões de dólares) da Abengoa se desfez desde que o governo regional da Andaluzia retirou uma oferta de 20 milhões de euros em financiamento como parte do acordo geral.

“O conselho de administração… continua comprometido em encontrar alternativas para evitar a inviabilidade das subsidiárias que desenvolvem a atividade do grupo e, assim, preservar empregos e tentar minimizar a perda de valor”, disse a Abengoa em comunicado ao órgão regulador do mercado acionário espanhol.

O pedido de recuperação judicial foi apresentado nesta segunda-feira em um tribunal de Sevilla. No comunicado, a empresa disse que o conselho de administração decidiu que essa era a medida mais apropriada para salvaguardar os interesses da companhia e de seus credores.

Mais cedo nesta segunda, a empresa havia dito que “na ausência de uma nova autorização para a extensão do prazo”, o acordo de reestruturação foi automaticamente encerrado.

Desde setembro, a Abengoa adiou repetidas vezes o prazo para concluir as negociações, enquanto lutava por alternativas ao financiamento da Andaluzia. Agora, porém, seus credores parecem ter perdido a paciência.

Um porta-voz do governo regional disse que a Andaluzia não possui ferramentas adequadas para injetar um auxílio direto à empresa.

Já um porta-voz do Ministério do Orçamento preferiu não comentar sobre a possibilidade de a Abengoa receber ajuda de um fundo de 10 bilhões de euros que visa resgatar empresas de setores estratégicos.

(Reportagem de Nathan Allen, Jesús Aguado e Joan Faus)

tagreuters.com2021binary_LYNXMPEH1L1DG-BASEIMAGE

To Top