Principais causas no INSS para liberação do Auxílio Doença
Benefícios

Principais causas no INSS para liberação do Auxílio Doença

auxilio doença INSS

Principais causas no INSS para liberação do Auxílio Doença. Distúrbios ortopédicos são os mais incapacitantes; Covid-19 está no topo da lista. Os afastamentos do trabalho com o pagamento de auxílio-doença pelo INSS (Instituto Nacional do Seguro Social) tiveram em 2020 uma importante colaboração da Covid-19, mas as doenças ortopédicas ainda representam as principais causas de incapacitação temporária para a atividade profissional.

Se considerados distúrbios osteomusculares (relacionados a dores nas costas, articulações, tendões e músculos) e as fraturas ou traumas, essas enfermidades representam 14 dos 20 motivos para que segurados do INSS recebessem o auxílio-doença ao longo do ano passado, segundo dados da Secretaria Especial de Previdência e Trabalho.

Entre os 459,5 mil beneficiários acometidos pelas 20 principais causas de incapacidade, 72% (332,7 mil) foram afastados por questões ortopédicas.

A hérnia de disco e transtornos similares da coluna lideram a lista como causas de 49,3 mil concessões de auxílios.

Do ponto de vista dos trabalhadores que precisam interromper a atividade profissional porque sentem dor, as concessões de benefícios por incapacidade deveriam atender ainda mais pessoas, afirma a advogada previdenciarista Daniela Volpiani.

“As doenças ortopédicas também são responsáveis por levar o maior número de pessoas para os escritórios de advocacia porque, obviamente, elas não conseguiram o benefício nos postos do INSS”, diz Volpiani.

“É também um reflexo da falta de cuidado das empresas e do governo ao cumprir e fiscalizar normas de segurança e de saúde que deveriam ser praticadas em locais onde há trabalhadores que realizam atividades que exigem força ou movimentos repetitivos, como pedreiros, costureiras e empregados da indústria”, afirma a advogada.

As doenças psicológicas, como depressão e ansiedade, ocuparam 5 postos entre as 20 mais incapacitantes, resultando em quase 90 mil concessões de benefícios nesse grupo.

A Covid-19 gerou 37 mil concessões de auxílio-doença em 2020. Considerando os 12 meses do ano, as infecções pelo novo coronavírus responderam pelo terceiro motivo de incapacitação.

Se o recorte for a partir de março, quando a pandemia foi reconhecida, a Covid-19 sobe ao segundo lugar no ranking de doenças que geraram a concessão do benefício temporário por incapacidade.

BENEFÍCIO POR INCAPACIDADE | PRINCIPAIS CAUSAS

Doenças da coluna são as principais causas de afastamentos do trabalho com o pagamento do auxílio-doença pelo INSS.

A Covid-19, porém, ocupou lugar de destaque, superando outras doenças que tradicionalmente figuram entre os principais motivos de afastamento. Veja:

Doença responsável por afastar o trabalhadorAuxílios-doença concedidos em 2020
1 – Transtornos de discos lombares e de outros discos intervertebrais com radiculopatia (hérnia de disco, artrose da coluna e outros)49.321
2 – Síndrome do manguito rotador (bursite e outras lesões na articulação do ombro)37.311
3 – Infecção por coronavírus (Covid-19)37.045
4- Dor lombar baixa (dor nas costas)36.931
5- Lumbago com ciática (dor na parte inferior da lombar com inflamação do nervo ciático)31.875
6 – Fraturas da extremidade distal do rádio (fratura do punho)30.721
7 – Episódio depressivo grave sem sintomas psicóticos (depressão)26.327
8 – Transtorno misto ansioso e depressivo (ansiedade e depressão)20.986
9 – Fratura da clavícula (osso que liga o braço ao tronco)19.413
10 – Fratura do maléolo lateral (fratura do tornozelo)19.104
11- Fratura de outros dedos18.739
12 – Fratura de ossos do metatarso (fratura do pé)18.515
13- Síndrome do túnel do carpo (causada pela compressão do nervo entre a mão e o antebraço)17.355
14 – Transtorno depressivo recorrente, sendo o episódio atual grave, sem sintomas psicóticos16.101
15 – Fratura de outros ossos do metacarpo (fratura da mão)15.081
16 – Ansiedade generalizada (preocupação excessiva e de difícil controle durante meses)13.646
17 – Fratura da diáfise da tíbia (fratura da parte longa do osso da canela)13.413
18- Episódio depressivo moderado12.778
19 – Fratura da extremidade proximal da tíbia (ponta do osso da canela próxima ao joelho)12.597
20 – Dor articular (dores nas articulações ou juntas)12.303

BENEFÍCIO POR INCAPACIDADE TEMPORÁRIA

  • O benefício por incapacidade temporária (auxílio-doença) é um direito do segurado do INSS que precisa se afastar do trabalho por doença ou acidente
  • Para receber o benefício é necessário ser aprovado pela perícia do INSS. O atendimento deve ser agendado
  • O auxílio passa a ser pago se o período de afastamento determinado pela perícia do INSS for igual ou superior a 16 dias
  • Em afastamentos de até 15 dias, o período de recuperação do trabalhador formal é remunerado pelo empregador

COVID-19 – AFASTAMENTO NEM SEMPRE PERMITE AUXÍLIO

  • O trabalhador que recebe diagnóstico de Covid-19 deve ser afastado do trabalho e colocado em isolamento
  • O auxílio-doença, porém, só é pago ao trabalhador doente a partir do 16º dia de afastamento
  • Em casos mais leves, o doente se recupera antes de chegar a esse período de tempo e, portanto, não entra na folha de pagamentos do INSS

COMO PEDIR O BENEFÍCIO AO INSS

Além da possibilidade de pedir o benefício pelo telefone 135, o cidadão também pode realizar o pedido pelo Meu INSS:

1) Baixe o aplicativo Meu INSS ou acesse o site meu.inss.gov.br

2) Escolha a opção “Agendar Perícia”

2) Informe CPF e data de nascimento e clique em “Eu não sou um robô” e em “Continuar”

4) Leia as instruções e clique em “Perícia inicial” e depois em “Selecionar”

5) Leia as instruções e clique na opção “SIM” se quiser encaminhar o atestado médico

6) Atualize seus dados de contato, principalmente email e celular

7) Vá para o campo “Anexos” e clique no sinal “+” para anexar os documentos

8) Informe seu CEP para que o sistema localize a unidade do INSS mais próxima

Atestado

O atestado de um médico relatando a doença e os sintomas que levaram ao afastamento do trabalho é fundamental para a análise da perícia do INSS.

Ao conversar com o médico sobre o relatório, se necessário, o trabalhador pode pedir ao profissional que inclua no atestado as seguintes informações:

  • Descrição da doença e a respectiva numeração da CID (Classificação Internacional de Doenças)
  • Sintomas que tornam o paciente incapaz para o trabalho
  • Tratamento aplicado, incluindo medicações e efeitos colaterais
  • A previsão do período de tratamento e de recuperação
  • Assinatura e carimbo do médico, com registro do CRM (Conselho Regional de Medicina)

Na perícia

  • Compareça ao local no dia e horário agendados
  • Apresente ao perito o relatório médico atestando a doença
  • Laudos de exames recentes podem colaborar com o pedido

Se tiver dúvida, ligue

  • A Central de Atendimento do INSS atende pelo telefone 135 de segunda a sábado das 7h às 22h (horário de Brasília)
  • Não há custo para ligações feitas de telefones fixos ou públicos. Quem liga do telefone celular paga o valor da chamada local

Fonte: Secretaria Especial de Previdência e Trabalho, ANMP (Associação Nacional dos Médicos Peritos), INSS (Instituto Nacional do Seguro Social) – Fonte: Agora

To Top