Aposentadoria de professor no INSS tem novo Fator previdenciário
Benefícios

Aposentadoria de professor no INSS tem novo Fator previdenciário

INSS pode aumentar aposentadoria de trabalhador

Aposentadoria de professor no INSS tem novo Fator previdenciário. O Superior Tribunal de Justiça (STJ) decidiu que a aposentadoria por tempo de contribuição de professores vinculados ao Instituto Nacional do Seguro Social (INSS) está sujeito à incidência do fator previdenciário no INSS. Com esse entendimento, e por unanimidade, a Primeira Seção do STJ negou provimento a dois recursos especiais relatados pelo ministro Mauro Campbell Marques, em que os docentes pediam a exclusão do fator de seus cálculos para a inatividade.

A tese abrangerá apenas as ações em andamento, não valendo para os processos transitados em julgado.​

A aplicação dessa fórmula se limita aos docentes que atingirem os requisitos necessários para se aposentar a partir de 29 de novembro de 1999, data de início de vigência da lei que criou o fator previdenciário no INSS.

Apesar de os docentes alegarem que a aposentadoria de professor do INSS teria caráter especial, enquadrando-se nas hipóteses de não aplicação do fator previdenciário, o relator do caso, ministro Mauro Campbell Marques, afirmou que a categoria deixou de ter aposentadoria especial com a entrada em vigor da Emenda Constitucional 18/1981, que foi mantida pela Constituição Federal de 1988.

O ministro destacou ainda que, mesmo sem a natureza especial, a aposentadoria de professor conta com tratamento diferenciado. A Lei da Previdência Social prevê a exigência de um período menor de contribuição para o cálculo do fator previdenciário incidente nos proventos de inatividade do magistério.

“A aposentadoria do professor é espécie de aposentadoria por tempo de contribuição com redução em cinco anos no tempo de contribuição, não sendo aposentadoria especial. A natureza de aposentadoria por tempo de contribuição não autoriza afastar no cálculo o fator previdenciário“, resumiu.

To Top