Caso contra Beckenbauer prescreveu, diz comitê de ética da Fifa
Esporte

Caso contra Beckenbauer prescreveu, diz comitê de ética da Fifa

Caso contra Beckenbauer prescreveu, diz comitê de ética da Fifa

O comitê de ética da Fifa disse que não pode processar Franz Beckenbauer, campeão mundial com a seleção da Alemanha como técnico e jogador, e duas outras autoridades do futebol da Alemanha porque o caso de suposto suborno prescreveu.

Em 2016, a câmara investigativa da Fifa concluiu que Beckenbauer, Theo Zwanziger e Horst Schmidt violaram as regras de suborno e corrupção da entidade durante a bem-sucedida campanha alemã para obter o direito de sediar a Copa do Mundo de 2006. Os três homens negam irregularidades.

A Fifa disse que os crimes tiveram “relação com o pagamento de 10 milhões de francos suíços feito pelo, ou em nome do, Comitê Organizador (OC) ao senhor Mohamed bin Hammam em 2002. Este pagamento estava ligado à aprovação de uma contribuição financeira de 250 milhões de francos suíços e paga pela Fifa ao OC entre 2002 e 2006”.

O comitê de ética da Fifa disse que os casos não podem mais ser tratados por terem atingido a data de prescrição.

“O período de limitação relevante havia vencido em 2012 para a conduta do senhor Beckenbauer e em 2015 para a conduta do senhor Zwanziger e do senhor Schmidt, o que implicou que sua conduta não pode mais ser processada, de acordo com o artigo 12 (do código de ética da Fifa)”, disse o comitê.

Em 2016, a Fifa impôs um alerta e uma multa de 7 mil francos suíços a Beckenbauer por ele não cooperar com a investigação relacionada às campanhas dos Mundiais de 2018/2022.

tagreuters.com2021binary_LYNXMPEH1O1EK-BASEIMAGE

To Top