Azul reduz perdas no 4º tri, mas enfrenta segunda onda da pandemia
Business

Azul reduz perdas no 4º tri, mas enfrenta segunda onda da pandemia

Azul reduz perdas no 4º tri, mas enfrenta segunda onda da pandemia

A Azul teve prejuízo líquido de 317,4 milhões de reais no quarto trimestre, a melhor performance da companhia aérea desde o início da pandemia no país, segundo dados divulgados mais cedo nesta quinta-feira.

Nos três últimos meses do ano passado, a Azul operou com capacidade no Brasil equivalente a 91% do nível anterior à epidemia de Covid-19.

Mas a empresa pode enfrentar dificuldades para manter este nível neste primeiro trimestre, por causa das medidas de isolamento social que estão sendo decretadas por uma série de governos municipais e estaduais no país.

Em teleconferência com analistas, executivos da Azul afirmaram que esperam queda na demanda de passageiros em março e abril, mas uma recuperação na sequência.

Apesar dos melhores resultados no quarto trimestre, a pandemia seguiu atingindo os resultados. A receita da Azul dobrou na comparação com o terceiro trimestre, para 1,8 bilhão de reais, mas segue praticamente metade do que era antes da chegada do coronavírus ao país.

A liquidez da companhia dobrou para 3 bilhões de reais no período, mas isso deveu-se mais à emissão de novas dívidas.

Em 2020, a Azul teve prejuízo de 10,8 bilhões de reais.

Às 12h28, as ações da Azul, porém, exibiam alta de 1,9%, em linha com o desempenho do Ibovespa. A rival Gol, que divulga resultado do quarto trimestre em 18 de março, mostrava recuo de 0,3%.

tagreuters.com2021binary_LYNXNPEH2317F-BASEIMAGE

To Top