Anvisa mantém recomendação de uso de vacina da AstraZeneca, pede alteração na bula
Brasil

Anvisa mantém recomendação de uso de vacina da AstraZeneca, pede alteração na bula

Anvisa mantém recomendação de uso de vacina da AstraZeneca, pede alteração na bula

A Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) emitiu comunicado nesta quarta-feira em que manteve a recomendação de continuidade de uso da vacina de Oxford/AstraZeneca contra a Covid-19, citando que até o momento os benefícios do imunizante superam os riscos, mas determinou uma mudança na bula para incluir alerta sobre possíveis ocorrências tromboembólicas.

O comunicado foi emitido após o comitê de aconselhamento sobre vacinas do Reino Unido aconselhar que adultos com menos de 30 anos não tomem a vacina Oxford/AstraZeneca, citando questões de segurança, devido a relatos de raros aparecimentos de coágulos sanguíneos possivelmente relacionados com o imunizante.

“A Anvisa mantém a recomendação de continuidade da vacinação com o referido imunizante, uma vez que, até o momento, os benefícios superam os riscos”, disse a agência, acrescentando que as possíveis ocorrências tromboembólicas são “um evento muito raro observado em alguns países”.

A agência, no entanto, pediu a alteração da bula da vacina, que no Brasil é envasada pela Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz), para incluir no item “Advertência e Precauções” as possíveis ocorrências tromboembólicas com trombocitopenia.

“Alguns casos de coágulos sanguíneos associados à trombocitopenia –diminuição do número de plaquetas (componente do sangue que ajuda na coagulação), podem estar associados à vacina Oxford/Astrazeneca/Fiocruz. As ocorrências são extremamente raras”, disse a Anvisa.

“Nesse contexto de monitoramento contínuo, a Anvisa solicitou à fabricante alteração de bula para que seja incluída no item “Advertência e Precauções” a informação de que alguns casos muito raros de eventos tromboembólicos com trombocitopenia foram observados após à vacinação”, acrescentou.

Segundo a Anvisa, no Brasil até momento foram registrados um total de 47 casos suspeitos de eventos adversos tromboembólicos, em um total de mais de 4 milhões de doses da vacina aplicadas. No entanto, disse a Anvisa, “até o momento, não foi possível estabelecer uma relação direta e de causalidade entre esses 47 casos suspeitos de eventos tromboembólicos e o uso da vacina no Brasil”.

tagreuters.com2021binary_LYNXMPEH3702J-BASEIMAGE

To Top