Anvisa dá aval para estudo clínico no Brasil de nova vacina contra Covid da GSK
Últimas Notícias

Anvisa dá aval para estudo clínico no Brasil de nova vacina contra Covid da GSK

portalmixvaleoficialnoticias

BRASÍLIA, DF (FOLHAPRESS) – A Anvisa (Agência Nacional de Vigilância Sanitária) aprovou nesta quinta-feira (8) a realização de um novo estudo clínico de uma candidata a vacina contra a Covid-19 no Brasil.

O teste é patrocinado pela biofarmacêutica Medicago R&D Inc, que fica no Canadá, e pela farmacêutica GlaxoSmithKline (GSK), que fica na Inglaterra.

Esse é o quinto estudo autorizado no país nos últimos meses de um imunizante contra a doença -antes dele foram realizados testes de AstraZeneca/Universidade de Oxford, da Coronavac (da Sinovac com o Butantan), da Pfizer e da Janssen, todas com aval para uso emergencial ou registro definitivo para uso no Brasil.

Ao todo, cerca de 30 mil voluntários em diferentes países devem participar dos testes clínicos da candidata à vacina.

Os testes serão divididos em três etapas e estão previstos para ocorrer no Canadá e nos Estados Unidos, além da América Latina, do Reino Unido e da Europa.

No Brasil, os estudos devem incluir até 3.500 pessoas acima de 18 anos. O país participará das fases 2/3 de testes clínicos, quando são avaliadas a segurança e eficácia da vacina.

As fases 1 e 2 do estudo ocorrem atualmente no Canadá e nos Estados Unidos. O ensaio é randomizado, cego e controlado por placebo (modelo considerado “padrão-ouro” para estudos, porque divide os pacientes de forma aleatória em grupos, sem que cientistas ou voluntários saibam se receberam vacina ou placebo, para reduzir o viés de avaliação).

Segundo a agência, a vacina candidata usa uma tecnologia de partícula semelhante ao coronavírus.

“Ela é composta da proteína S expressa em forma de partículas parecidas com vírus, coadministradas com um adjuvante [que será desenvolvido pela GSK], em duas doses com intervalo de 21 dias”, informa.

Em nota, a Anvisa disse que, para autorizar o estudo, avaliou dados de etapas anteriores do desenvolvimento, “incluindo estudos não clínicos in vitro e em animais, bem como dados preliminares de estudos clínicos em andamento”.

“Os resultados obtidos até o momento demonstraram um perfil de segurança aceitável das vacinas candidatas”, informa.

To Top