Brasil mantém diálogo com OMS para que entregas da Covax sejam cumpridas, diz Queiroga
Brasil

Brasil mantém diálogo com OMS para que entregas da Covax sejam cumpridas, diz Queiroga

Brasil mantém diálogo com OMS para que entregas da Covax sejam cumpridas, diz Queiroga

O governo brasileiro tem mantido diálogo com a Organização Mundial da Saúde (OMS) para assegurar o cumprimento da entrega de doses de vacinas contra Covid-19 ao Brasil no âmbito do programa Covax Facility, disse nesta quarta-feira o ministro da Saúde, Marcelo Queiroga.

A declaração foi dada pelo ministro em pronunciamento à imprensa após reunião do comitê de combate à pandemia, no Palácio do Planalto e depois de o deputado federal Dr. Luizinho (PP-RJ), que representou o presidente da Câmara no encontro, criticar o tratamento dado pela OMS ao Brasil.

“A Organização Mundial da Saúde, no programa Covax Facility, tem deixado o Brasil de lado. A Organização Mundial da Saúde privilegiou países que não têm a pandemia e a circulação viral que o Brasil tem”, afirmou o parlamentar, que fez a avaliação de que a quantidade de doses alocadas pelo Covax a países da África e do Sudeste Asiático foram em “desproporção” às enviadas às Américas e para o Brasil.

Logo depois da fala de Luizinho, Queiroga afirmou que o governo tem mantido tratativas frequentes com a OMS em relação ao Covax, mecanismo criado para permitir um acesso mais igualitário às vacinas contra Covid-19 para os países mais pobres.

“O deputado Luizinho fala muito bem acerca da iniciativa Covax Facility, até porque em outubro o governo brasileiro alocou 150 milhões de dólares para ter uma cobertura vacinal de 10% da população e nós temos mantido, como eu já falei, um diálogo muito produtivo com a OMS no sentido de que seja cumprido o acordado anteriormente”, disse Queiroga.

(Por Lisandra Paraguassu)

tagreuters.com2021binary_LYNXMPEH3D121-BASEIMAGE

To Top