PF no Amazonas acusa Salles de obstruir investigação sobre apreensão de madeiras
Brasil

PF no Amazonas acusa Salles de obstruir investigação sobre apreensão de madeiras

PF no Amazonas acusa Salles de obstruir investigação sobre apreensão de madeiras

A Polícia Federal enviou ao Supremo Tribunal Federal um relatório em que acusa o ministro do Meio Ambiente, Ricardo Salles, de obstruir uma investigação que havia levado a uma apreensão recorde de madeira ilegal na região amazônica e de favorecer madeireiros e ainda de integrar uma organização criminosa envolvida num esquema de receptação e crimes ambientais.

O documento, uma notícia crime produzida pelo superintendente da PF no Amazonas, delegado Alexandre Saraiva, foi encaminhado ao STF para avaliar se abre uma investigação criminal contra Salles. O ministro tém foro privilegiado e só pode responder por crimes de natureza penal perante o Supremo.

Nas 38 páginas da notícia crime, obtida pela Reuters, o ministro do Meio Ambiente aparece como fazendo uma defesa dos madeireiros, desacreditando o teor das investigações da Operação Handroanthus, realizada em dezembro passado e que obteve uma apreensão recorde de madeiras. O relatório cita que ele chega a respaldar documentos supostamente fraudados de aquisição de madeira.

Segundo o documento, “resta patente” que Salles e outro acusado “de forma consciente e voluntária, e em unidade de desígnios”, dificulta “a ação fiscalizadora do Poder Público no trato de questões ambientais, assim como patrocinam, direta, interesses privados (de madeireiros) e ilegítimos perante a administração pública, valendo-se de suas qualidades de funcionários públicos”.

O relatório menciona ainda que ele integra, “na qualidade de braço forte do Estado, organização criminosa orquestrada por madeireiros alvos da Operação HANDROANTHUS – GLO com o objetivo de obter, direta ou indiretamente, vantagem de qualquer natureza, mediante a prática de infrações penais de crimes de receptação qualificada e crimes ambientais com caráter transnacional”.

Procurado, o ministro do Meio Ambiente disse que não vai se manifestar.

A área ambiental do governo Jair Bolsonaro –no qual o país tem tido recordes de desmatamento– tem sido alvo de críticas internacionais.

tagreuters.com2021binary_LYNXMPEH3E1A3-BASEIMAGE

To Top