Cacique Raoni pede que Biden ignore Bolsonaro em meio a negociações ambientais
Brasil

Cacique Raoni pede que Biden ignore Bolsonaro em meio a negociações ambientais

Cacique Raoni pede que Biden ignore Bolsonaro em meio a negociações ambientais

O cacique Raoni Metuktire, importante liderança indígena kayapó, publicou nesta sexta-feira uma mensagem direcionada ao presidente dos Estados Unidos, Joe Biden, na qual pede para que o mandatário norte-americano ignore o presidente Jair Bolsonaro em meio a negociações sobre clima e meio ambiente.

Em vídeo publicado no Instagram de seu instituto, Raoni afirmou que Bolsonaro tem sido porta-voz de “muitas mentiras” e incentiva invasões e desmatamento em terras indígenas. Além disso, o classificou como o único entre os últimos presidentes brasileiros que não o escuta.

“Somente este presidente está contra mim. Se este presidente ruim falar alguma coisa para o senhor, ignore-o… Ele está querendo liberar desmatamento nas nossas florestas incentivando invasões às nossas terras”, disse o cacique.

A manifestação do líder indígena ocorre em momento de negociações entre Brasil e EUA para uma redução do desmatamento na Amazônia, às vésperas da Cúpula do Dia da Terra organizada por Biden, que ocorrerá na semana que vem.

Em carta enviada ao presidente norte-americano, Bolsonaro se comprometeu pela primeira vez em eliminar o desmatamento ilegal no país até 2030, mas pediu recursos para que os compromissos sejam cumpridos.

Segundo o vice-presidente Hamilton Mourão, que coordena o Conselho Nacional da Amazônia, seria necessária uma redução de 15% a 20% por ano no desmatamento na região, em comparação aos números de 2019 e 2020, para o cumprimento da meta citada por Bolsonaro no documento.

No vídeo, Raoni critica duramente Bolsonaro.

“O presidente deste país tem dito muitas mentiras… Eu não aceito madeireiros aqui dentro da minha terra, e nem garimpeiros. Quero florestas em pé”, disse Raoni, em seu vídeo, no qual também pediu uma colaboração mútua com Biden em prol de “coisas boas”.

“Mesmo estando muito triste, a circunstância me forçou a falar novamente em público para que o senhor me escute, reflita e que assim possamos encontrar um caminho, uma solução melhor para preservar o meio ambiente”, concluiu Raoni.

(Por Gabriel Araujo)

tagreuters.com2021binary_LYNXMPEH3F19Q-BASEIMAGE

To Top