Aos 38 anos, Anderson Varejão está de volta ao Cavalliers, da NBA
Agência Brasil

Aos 38 anos, Anderson Varejão está de volta ao Cavalliers, da NBA

portalmixvalegoogle

Anderson Varejão está de volta à casa. O pivô brasileiro assinou um contrato de dez dias com o Cleveland Cavaliers, time que defendeu nas primeiras doze temporadas na NBA, a liga de basquete norte-americana. A cidade no estado de Ohio é também onde o jogador reside desde 2004, com breves passagens por Oakland – onde defendeu o Golden State Warriors por um ano – e Rio de Janeiro, onde jogou pelo Flamengo, sendo campeão do NBB na temporada 2018/19. Varejão estava sem atuar desde a Copa do Mundo da China, disputada em setembro de 2019. Nesta terça (4), a partir das 20h  (horário de Brasília), ele já estará à disposição do técnico J.B Bickerstaff, para a partida diante do Phoenix Suns, equipe de melhor campanha da liga.

Depois da Copa do Mundo em 2019, o brasileiro retornou a Cleveland para um projeto pessoal de se dedicar à família e tentar uma volta à NBA. Ele e a esposa, a norte-americana Stacy, se tornaram pais da menina Serenee, que nasceu em abril de 2020. Durante o hiato na carreira, que começou em 2019 e se estendeu por todo o período de pandemia, Varejão treinou sozinho em casa, primeiro na garagem e depois no porão da residência do casal. 

“Não foi fácil. Mas essa é uma das coisas que marcaram a minha carreira. Nunca desistir. Nunca achar que está perdido”, revelou em entrevista coletiva com a imprensa brasileira nesta terça-feira (4).

Aceitar a proposta do Cleveland Cavaliers, pelo contrário, não exigiu muita reflexão. Segundo Varejão, se o convite tivesse acontecido antes, ele teria aceitado. O tempo necessário para os cuidados com a filha recém-nascida não impediu que ele se dedicasse a manter a forma física. 

“Foi uma decisão muito fácil e acho que foi acertada. Eu me mantive preparado o tempo todo, a oportunidade apareceu e pude aceitar”, opinou.

O pivô volta ao time no qual construiu praticamente toda a carreira nos Estados Unidos. Ele chegou à franquia em 2004 e, com ela, alcançou duas finais de NBA, em 2007 e 2015. Curiosamente, ele deixou a equipe justamente quando o ‘Cavs’ atingiu o seu ápice na história: o primeiro e único título da NBA, na temporada 2015-16. Para dar um tom ainda mais pitoresco a esse episódio, Varejão estava justamente do outro lado da quadra naquela decisão, com a camisa do Golden State Warriors.

Agora, o brasileiro agora chega a uma equipe em situação completamente distinta. A única coisa que o remete ao passado, provavelmente, é a camisa 17 que voltará a usar. Desde a saída do craque LeBron James, em 2018, o Cleveland Cavaliers tem o menor número de vitórias em toda a liga (apenas 59 neste período). A equipe está em momento de reconstrução, focada no desenvolvimento de jovens. A média de idade do time é de 24,9 anos, o sétimo elenco mais jovem da liga. Os nomes de maior destaque têm todos entre 20 e 23 anos, incluindo o pivô Jarrett Allen, de 23, que é uma aposta para a mesma posição de Varejão. O brasileiro acredita que pode passar muitos ensinamentos para o núcleo jovem da equipe.

“Fase de renovação nunca é fácil. Quando a franquia passa por essa renovação, tem que entender que muitas coisas vão acontecer. Vai estar ganhando um jogo bem, de repente vai estar perdendo. São muitos altos e baixos. Muitos erros, por ser uma equipe jovem. É o momento de aproveitar esses últimos jogos. Aproveitar para ajudar quem eu puder da garotada mais nova, com a minha experiência. Passar um pouco do que eu vivi aqui dentro. Às vezes você está numa situação ruim mas ela pode piorar. E quando você é muito novo, você acaba não vendo essas coisas”, aponta.

Varejão talvez não esteja mais presente quando as jovens promessas de Cleveland finalmente amadurecerem. O pivô assinou um contrato de dez dias, o menor possível na NBA. Provavelmente ficará menos em quadra e mais no banco. Restam apenas oito jogos para o fim da temporada regular e depois disso Varejão não sabe o que o futuro reserva para ele. 

Aos 38 anos, ele só consegue imaginar como será retornar ao ginásio de Cleveland, antes chamado Quicken Loans Arena, agora rebatizado de Rocket Mortgage Fieldhouse. E esse é um futuro mais do que próximo. É imediato. Logo mais, a partir das 20h,, ele já pode entrar em quadra contra o Suns. 

“Tenho certeza que vão surgir muitas lembranças, virão muitas emoções, será tudo muito bom. O depois eu não sei. Estou vivendo o momento”, conclui.

To Top