Dores nas costas podem ter benefícios no INSS
Benefícios

Dores nas costas podem ter benefícios no INSS

Senhor na fila do INSS

Dores nas costas podem ter benefícios no INSS Segundo o especialista em aposentadoria Hilário Bocchi Junior, as limitações para o trabalho por causa de doenças decorrentes de fatores externos permitem acesso mais rápido aos benefícios do INSS.

A associação da dor, da doença ou de uma lesão à Previdência Social induz a sensação de que o trabalhador pode ter direito a um dos tipos de benefícios por incapacidade: auxílio por incapacidade temporária, benefício por incapacidade permanente ou auxílio acidente.

O especialista em previdência Hilário Bocchi Junior diz que essas patologias também podem servir para antecipar a aposentadoria por idade e a aposentadoria por tempo de contribuição no INSS.

Segundo a Fundacentro, problemas de coluna são a segunda maior causa de aposentadoria por invalidez — Foto: Divulgação

Natureza da lesão

A origem da doença ou da lesão pode ter relação com o meio ambiente, inclusive do trabalho (exógena), ou não ter qualquer relação com o meio externo (endógena).

Bocchi Junior afirma que quando a doença é exógena, inclusive aquela agravada pelas condições do trabalho, o segurado passa a ter mais direitos na Previdência, seja ele empregado do setor privado ou servidor público.

Mas, segundo o especialista, em qualquer caso, inclusive no de doenças degenerativas, é possível conquistar um benefício maior e com menos tempo de idade ou de contribuição.

Pessoa com deficiência

O trabalhador pode ser uma pessoa ativa, apta e saudável, mas pode ter algum tipo de limitação: leve, moderada ou grave, e de origem física, mental, intelectual ou sensorial.

“Essas características permitem que a aposentadoria por idade aconteça com 55 anos (mulher) ou 60 anos (homem), desde que pelo menos 15 anos das contribuições tenham sido feitas quando já possuía a limitação funcional”, diz Bocchi Junior.

A aposentadoria por tempo de contribuição, dependendo do grau da deficiência (leve, moderada ou grave) pode antecipar o início do benefício em dois, seis ou dez anos.

Pesquisas e estatísticas

De acordo com o especialista, duas pesquisas mostraram que os problemas de coluna, quando não geram incapacidade, podem reduzir o tempo da aposentadoria.

A Fundacentro, órgão ligado ao Ministério do Trabalho, já afirmou que os problemas de coluna são a segunda maior causa de aposentadoria por invalidez.

Outra pesquisa feita no Hospital das Clínicas da USP apontou que uma das principais causas de afastamento do trabalho no Brasil, a lombalgia (dor na região lombar) atinge 59% dos motoristas de caminhão do estado de São Paulo e que a cada hora de trabalho o risco de o motorista ter dor lombar aumenta em 7%.

Relação com o trabalho

O trabalhador tem enorme dificuldade de provar no INSS e no Judiciário a relação da dor lombar com as condições do trabalho.

Isso afasta as indenizações por acidente do trabalho dos trabalhadores que são empregados e dificulta o acesso aos benefícios com tempo reduzido, e idade menor, tanto dos empregados como dos trabalhadores por conta própria.

Essas pesquisas e estatísticas trazem uma nova oportunidade para discussão, e rediscussão, de questões trabalhistas e previdenciárias. Fonte: G1

To Top