Últimas Notícias

Secretaria convoca grupos prioritários por causa da baixa adesão à vacina contra a gripe em SP

portalmixvalegoogle

SÃO PAULO, SP (FOLHAPRESS) – A Secretaria de Estado da Saúde de SP diz que a adesão à vacina da gripe está abaixo do esperado. Até a segunda-feira (3), 991,2 mil foram imunizados, o que representa apenas 18,02% do total esperado, de 5,5 milhões de pessoas desta primeira etapa.

Isso levou a pasta a reforçar a convocação para os integrantes do primeiro grupo, que incluem trabalhadores de saúde, crianças de 6 meses a 5 anos completos, indígenas, gestantes e mulheres com até 45 dias após o parto (puérperas), procurarem os postos de vacinação para receber o imunizante.

“Com a circulação de doenças respiratórias como a gripe e a Covid-19, toda medida preventiva é necessária”, afirma e nota a diretora de Imunização da secretaria, Nubia Araújo.

A vacinação desses grupos teve início no dia 12 de abril e a previsão é atingir ao menos 90% desses públicos até o dia 10 de maio, próxima segunda-feira.

A diretora ressalta que a vacina não provoca gripe. “É composta apenas de fragmentos do vírus que garantem a devida proteção”, afirma.

Diferentemente do realizado até o ano passado, quando as pessoas acima de 60 anos foram os primeiros da fila, neste ano o PNI (Programa Nacional de Imunizações) estabelece como prioridade as crianças, que até o ano de 2020 eram os últimos a serem vacinados.

A medida foi tomada para evitar conflito de datas com os grupos que estão sendo vacinados contra a Covid-19. Desde o dia 29 de abril, pessoas de 63 anos começaram a ser vacinadas contra o coronavírus. Algumas cidades do ABC conseguiram adiantar os grupos e já estão vacinando pessoas com 60 anos.

Segundo os dados divulgados pela secretaria estadual, o maior índice de cobertura vacinal contra a gripe até agora é entre os indígenas: 35,7%. Em seguida, as puérperas (19,9%), crianças (19,8%), gestantes (17,7%) e profissionais de saúde (15,7%).

Do dia 11 de maio até o dia 6 de junho é a vez das pessoas com 60 anos ou mais e professores, e, a partir do dia 9 de junho até o dia 9 de julho, os demais grupos (portadores de doenças crônicas, caminhoneiros, trabalhadores do transporte público, de portos, agentes do sistema prisional e outros).

CAPITAL

Devido à vacinação contra a Covid, na cidade de São Paulo a imunização está sendo feita em escolas e estabelecimentos de educação. O objetivo é o de não cruzar os públicos e locais. A lista dos pontos disponíveis pode ser consultada neste link da prefeitura: https://www.prefeitura.sp.gov.br/cidade/secretarias/upload/saude/2021_05_03_lista_postos_vacinacao_INFLUENZA.pdf.

Já o governo estadual está utilizando os seus próprios postos de vacinação. A diferença é que a vacina da Covid-19 está sendo aplicada em uma sala, e a contra a gripe, em outra.

Até o dia 30 de abril, 421 mil pessoas foram imunizadas na cidade de São Paulo. Assim como acontece no estado, os índices por faixa de grupos prioritários também estão baixos. Entre as crianças, 33,2% do público-alvo foi imunizado. Entre as gestantes o índice é de 24,6%, e entre as puérperas, 25%. Apenas 18,8% dos trabalhadores da saúde já tomaram a vacina contra a gripe, e, entre os indígenas, o índice superou o esperado: 1.531 foram imunizados.

Desde o dia 14 de abril, 507 agentes da CET (Companhia de Engenharia de Tráfego) também receberam a vacina.

Segunda fase A fase 2 da vacinação contra a gripe inclui grupos que já foram ou estão sendo imunizados contra a Covid-19: professores das escolas públicas e privadas e idosos com 60 anos ou mais.

Como as duas vacinas não podem ser aplicadas de forma simultânea, poderão tomar a vacina contra a gripe os idosos ou professores que já completaram o ciclo vacinal contra a Covid-19 há mais de 14 dias. Para aqueles que ainda não completaram o ciclo da vacinação contra a Covid, a dica é adiar a imunização contra a gripe.

A vacinação contra a gripe não poderá ser administrada se a pessoa estiver contaminada pelo novo coronavírus ou se teve a doença há menos de 28 dias. Nesses casos, a pessoa deve remarcar a data.

Aqueles que tomaram a primeira ou a segunda dose da vacina contra a Covid-19 poderão tomar o imunizante contra a gripe desde que seja respeitado o intervalo de 14 dias entre elas.

Confira o calendário

12/4 a 10/5

crianças de 6 meses de vida até 5 anos, 11 meses e 29 dias de idade (menos de 6 anos);

povos indígenas;

trabalhadores da saúde;

gestantes;

puérperas (mulheres com até 45 dias após o parto);

11/5 a 8/6

pessoas com 60 anos ou mais;

professores e demais trabalhadores de escolas públicas e privadas

9/6 a 9/7

portadores de doenças crônicas;

pessoas com deficiência permanente;

integrantes de forças de segurança (polícias, agentes) e salvamento (bombeiros);

forças armadas (Marinha, Aeronáutica, Exército);

caminhoneiros;

motoristas, cobradores e demais trabalhadores do transporte público;

rodoviários;

agentes prisionais;

trabalhadores portuários;

adolescentes e jovens de 12 a 21 anos cumprindo medida socioeducativa

To Top