Isolamento Social Muda Hábitos e Rotina. Quais mudanças serão definitivas?
Brasil

Isolamento Social Muda Hábitos e Rotina. Quais mudanças serão definitivas?

Isolamento Social Muda Hábitos e Rotina.  Quais mudanças serão definitivas?

Durante os primeiros meses de isolamento social, a busca por melhores restaurantes foi substituída pela procura dos melhores sites para assistir filmes, enquanto a procura pelos melhores tênis para fazer academia foi substituída por outros tipos de produtos de saúde e beleza, como cremes para reduzir celulite ou vitamina para crescer cabelo. Para se ter ideia da dimensão da mudança, a busca por Nutricosméticos aumentou 654% entre fevereiro de 2019 e fevereiro de 2020.

A mudança também aconteceu nos hábitos domésticos e muitas pessoas aprenderam a cozinhar, costurar, fazer tricô, crochê, artesanato ou pintar quadros enquanto seguiam a recomendação sanitária expressa sobre “ficar em casa”.

Além dos hábitos relacionados à rotina, outra mudança significativa foi a forma de realizar compras e solucionar problemas do dia a dia.

Pesquisa da Firjan apontou que entre 16 e 31 de março de 2020, 42% das pessoas alegaram que sentiram mudanças efetivas em suas rotinas.

Segundo a pesquisa:

  • 78% sairam somente para o necessário (banco, mercados, etc.)
  • 71% deixaram de ir a shoppings, parques, etc.
  • 68% deixaram de ir a restaurantes e lanchonetes.
  • 27% compram mais alimentos saudáveis e nutritivos
  • 21% compram mais produtos de limpeza
  • 7% pediram comida por delivery

Compras Online Aumentam Durante o Isolamento Social

Com as limitações em horário de circulação impostas pelos Estados, a redução do número de pessoas permitido no interior das lojas e até mesmo a proibição do atendimento presencial, muita gente se viu obrigada ou, no mínimo impulsionada, a realizar suas primeiras compras online. Em março de 2020, 19% das compras ocorriam no mercado online e em abril, a porcentagem já atingia 34%, segundo a Divisão de Pesquisas Institucionais da Firjan.

Aplicativos como o Ifood, o Rappi e o UberEats tiveram um aumento de 53% em suas demandas por pedidos e aproveitaram esse momento para expandir suas operações.

Entre março e abril de 2020, 53% dos clientes alegaram que fizeram pedidos de 2 a 3 vezes por semana.

No outro lado da ponte, pessoas que já queriam empreender e esperavam por uma oportunidade, aproveitaram para dar início aos seus negócios, principalmente no meio digital e no ramo da alimentação, investindo em lanchonetes, pizzarias e franquias das mais diversas, deaçaiterias e franquias de sorvetes a franquias de espetinhos e mini salgados.

Mercado Digital Ganha Espaço Durante Pandemia de Covid

Em relação ao mercado online, as tendências já apontavam que o crescimento seria sólido e que a migração das lojas físicas para o digital era um caminho sem volta. A pandemia, apenas, acelerou o processo, fazendo com que os números do e-commerce atingissem patamares inesperados em um curto período de tempo.

Além das restrições impostas pelo Coronavírus, outro fator que tem sido apontado como impulsionador das vendas online é a boa experiência de compra que os consumidores estão tendo.

54% dos novos consumidores digitais revelam que suas experiências online têm sido melhores do que nas compras presenciais, 82% pretendem continuar usando e-commerce e 39% aumentar as compras on-line.

Serviços Digitais Se Tornam Primeira Necessidade Para Empresas

Uma coisa puxa a outra e de fato, quando o assunto é sociedade e economia, tudo se trata de uma grande cadeia de pessoas e processos.

Quem fica em casa para se proteger e evitar a disseminação do vírus recorre aos pedidos de delivery para compras de alimentos, itens de drogaria, serviços de internet banking e aplicativos para movimentação bancária e e-commerces e marketplaces para a compra de produtos diversos.

Essa migração faz com que o comércio local, mesmo quando pode funcionar, sinta que a circulação de clientes é menor, porque já foi instalado um novo hábito, que leva comodidade e muitas vezes, economia, para o consumidor.

Para expandir as operações ou, pelo menos, se manter no mercado, as lojas físicas estão investindo cada vez mais na criação de sites e serviços de marketing digital, que vão desde SEO (otimização de sites para melhor posicionamento orgânico nos buscadores) à publicidade nas mídias sociais e contratação de tráfego pago.

Para as empresas que oferecem serviços digitais, as mudanças de mercado foram positivas, pois ocasionaram uma aceleração inesperada no faturamento e no crescimento da carteira de clientes.

Apesar disso, 75,5% das empresas não possuíam canal de vendas pela internet, o que fez com que empresas como a BQHost passassem a oferecer revenda de hospedagem com 30 dias grátis para incentivar a criação de novas lojas.

Impacto nos Negócios Durante a Pandemia

As empresas que puderam se adaptar e fizeram isso conseguiram, em grande parte, manter sua carteira de clientes e, em alguns casos, até aumentar o faturamento, percebendo que a migração para o digital deveria ter acontecido antes mesmo da pandemia ser anunciada.

Por outro lado, alguns setores foram impactados negativamente e ainda não se sabe quando e como conseguirão recuperar os prejuízos causados durante o período de distanciamento social.

Turismo, hospedagem e aviação foram os primeiros impactados logo que a pandemia foi anunciada e até maio de 2021 ainda não houve recuperação para esses setores.

Considerações Finais

Os novos hábitos de consumo e rotina ainda estão em fase de alteração.

Desde o início da divulgação da pandemia no Brasil, várias etapas foram vivenciadas e cada indivíduo precisou se ajustar de acordo com os novos padrões que foram estabelecidos.

O Home Office se tornou realidade para uma grande parcela da população, enquanto outros precisaram encerrar suas atividades empresariais ou realizar uma migração impactante, do mundo físico para o on-line, para manter seus negócios.

A preocupação com a saúde e com os cuidados pessoais aumentou e desenvolveu novos hábitos alimentares, como cozinhar e escolher alimentos mais saudáveis.

No entanto, todos esperam que a vacina seja rapidamente distribuída para toda a população e a circulação social seja retomada em breve e não se sabe quais mudanças de fato se tornarão um hábito pós-pandemia e quais serão desfeitas logo que o risco seja reduzido ou eliminado.

Qual sua opinião sobre tudo isso?

Compartilhe esse conteúdo nas redes sociais e ajude a levar o tema adiante.

To Top