Milho e soja recuam; óleo de soja tem queda com preocupações sobre lei para biocombustíveis
Economia

Milho e soja recuam; óleo de soja tem queda com preocupações sobre lei para biocombustíveis

Milho e soja recuam; óleo de soja tem queda com preocupações sobre lei para biocombustíveis

Por Karl Plume

CHICAGO (Reuters) – Os contratos futuros da soja e do milho recuaram e os futuros do óleo de soja despencaram nesta sexta-feira, com preocupações sobre a demanda de matéria-prima para combustível sustentável após notícias de que a Casa Branca considera oferecer às refinarias de petróleo um alívio nos mandatos de mistura de biocombustíveis.

A Reuters reportou que a Agência de Proteção Ambiental dos Estados Unidos estava ponderando formas de fornecer ajuda a refinarias de petróleo, acelerando realização de lucro no fim da semana, com meteorologistas declarando que chuvas que podem impulsionar colheitas em partes do Meio-Oeste dos EUA e das planícies do Norte.

“As notícias do biocombustível oscilaram o mercado, você tem algumas chuvas nas Dakotas… o óleo de palma caiu entre 4% a 5%… Tudo isso está pesando no mercado”, disse Craig Turner, da Daniels Trading.

A soja para julho negociada em Chicago caiu 35,50 centavos para 15,0850 dólares o bushel e recuou 4,8% durante a semana, a maior queda semanal desde meados de janeiro.

O milho para julho recuou 14,50 centavos para 6,8450 dólares o bushel, mas encerrou a semana em alta de 0,2%, o segundo avanço semanal consecutivo.

Os futuros do óleo de soja para julho caíram 3,48 centavos a 66,98 centavos de dólar por libra-peso.

Diante de um relatório da área plantada com milho e soja aguardado pelos Estados Unidos, previsto para o fim do mês, os mercados de grãos se concentrarão no clima nos Estados Unidos e na América do Sul, onde a seca reduziu a produção de milho no Brasil, mas o bom tempo impulsionou a safra argentina.

Trigo para julho caiu 3 centavos para 6,8075 dólares o bushel.

(Reportagem de Karl Plume em Chicago, Reportagem adicional de Gus Trompiz em Paris e Colin Packham em Canberra)

tagreuters.com2021binary_LYNXNPEH5A1AA-BASEIMAGE

To Top