Mark Wahlberg diz que precisou comer 11 mil calorias por dia para personagem
Últimas Notícias

Mark Wahlberg diz que precisou comer 11 mil calorias por dia para personagem

portalmixvalegoogle

SÃO PAULO, SP (FOLHAPRESS) – Mark Wahlberg, 50, teve que mudar radicalmente a dieta para viver o protagonista do longa biográfico “Father Stu”. “Infelizmente, tive que consumir, por duas semanas, 7.000 calorias e, por mais duas semanas, 11 mil calorias. E foi divertido por cerca de uma hora “, explicou o ator, falando sobre a dieta rígida, que consistia em grandes quantidades de proteína.

“É uma coisa tão difícil e física de se fazer. Para perder peso, você meio que aguenta, simplesmente não come e se exercita. E isso mesmo quando estava cheio, eu acordava depois de uma refeição e fazia outra refeição. Comia a cada três horas. Isso não foi divertido”, disse em entrevista ao programa “The Tonight Show With Jimmy Fallon”.

A história da trama, escrita pelo ator em parceria com a diretora Rosalind Ross, é inspirada na vida do ex-pugilista Stuart Long. Após quase morrer em um acidente de moto, ele se aposenta dos ringues e passa a se interessar pela vida religiosa, tornando-se padre.

Em 2019, ao estrear o seu último longa “Troco em Dobro” (Netflix), o ator viveu uma experiência oposta em relação ao físico. No filme de ação, ele é Spenser, um ex-policial e ex-presidiário que se une ao aspirante a lutador Hawkm (Winston Duke) para investigar uma conspiração ligada à morte de dois oficiais de Boston. A história é baseada no romance “Wonderland”, de Ace Atkins, lançado em 2013.

“É um personagem que muitas pessoas gostam e com o qual se identificam. Um tipo de herói da classe trabalhadora que simplesmente não pode permitir que alguém maltrate outra pessoa. Especialmente protegendo os inocentes”, conta Wahlberg em conversa com a Netflix, à qual a reportagem teve acesso.

O ator valoriza a “formaçã eclética” do grupo para criar elementos de drama, humor e emoção na narrativa, e afirma que os espectadores do filme poderão vivenciar uma “jornada real” ao ver os diferentes lados da cidade de Boston. “É um tipo de mergulho profundo no submundo e no ponto fraco de Boston”, conta.

To Top