Para Japão, abundância de medalhas pode iluminar um pouco Jogos manchados
Asia

Para Japão, abundância de medalhas pode iluminar um pouco Jogos manchados

Para Japão, abundância de medalhas pode iluminar um pouco Jogos manchados

Um recorde de medalhas pode ser o único lado positivo para o país-sede da Olimpíada de Tóquio 2020, após os Jogos serem ofuscados pela pandemia de coronavírus e manchados por uma série de escândalos.

O Japão deve ganhar 60 medalhas em Tóquio, um aumento de 50% do seu recorde de 41 no Rio de Janeiro, segundo as projeções da empresa de dados Gracenote.

Seria uma boa notícia para os organizadores –e para o primeiro-ministro Yoshihide Suga– diante da impopularidade do evento. Pesquisas de opinião consistentemente mostram que a maioria do público é contra sediar a Olimpíada durante a pandemia.

Algumas medalhas no começo do evento podem reverter uma tendência recente de manchetes negativas que parece não ter fim. Nesta quinta-feira, os organizadores demitiram o diretor da cerimônia de abertura por comentários antigos sobre o Holocausto, o último de uma série de escândalos envolvendo os organizadores.

Uma das melhores chances para uma medalha precoce é no judô. Funa Tonaki competirá na categoria mais leve das mulheres, e Naoshisa Takato na mais leve para os homens.

O Japão também tem chance de levar medalha na natação e no skate, que faz a sua estreia na Olimpíada de Tóquio.

Os Jogos, que começam oficialmente com a cerimônia de abertura na sexta-feira, serão realizados praticamente sem torcida e sob condições sem precedentes devido à pandemia.

(Por Daniel Leussink)

((Tradução Redação São Paulo, 5511 56447759)) REUTERS ES

tagreuters.com2021binary_LYNXMPEH6L0WJ-BASEIMAGE

To Top