Aposentadoria para quem tem mais de 40 anos: Saiba como pedir ao INSS
Benefícios

Aposentadoria para quem tem mais de 40 anos: Saiba como pedir ao INSS

INSS pode aumentar aposentadoria de trabalhador

Aposentadoria para quem tem mais de 40 anos: Saiba como pedir ao INSS A geração dos 40+ viverá um período de pouquíssimos benefícios concedidos e o foco tem que ser a previdência complementar ou privada. O Planejamento Previdenciário terá que ser mais detalhado e abordar a vida financeira do contribuinte muito além da previdência pura”, explica o advogado Hilário Bocchi Junior, especialista em previdência na firma Bocchi Advogados Associados.

Comecei nos conteúdos anteriores a repercutir um estudo sobre uma nova série denominada APOSENTADORIA POR GERAÇÕES abordando a aposentadoria para várias gerações e sugiro que leia o artigo Para Quem Tem +60 anos, que trata do Milagre da Aposentadoria.

Depois, em outro artigo, abordei a Aposentadoria Para Quem Tem +50 anos.

Convido para ler e se inteirar sobre esses dois assuntos.

Este estudo que realizei na Firma onde trabalho analisou o perfil profissional de três gerações, os benefícios que estão mais longe, mais próximos e aqueles que estão acontecendo, bem como qual é o foco do planejamento previdenciário para não perder direitos.

JUSTAMENTE NA MINHA VEZ

A Turma do “Justamente na minha vez” ficou longe de quase todos os benefícios previdenciários programáveis, com raras exceções para aquelas pessoas (principalmente mulheres) que exercem algum tipo de atividade especial que podem converter tempo de serviço.

Muitos contribuintes terão que planejar uma previdência particular, individual, o que não se confunde com previdência privada, que ficará desacreditada quando começar a “não entregar o que prometeu”: uma aposentadoria alternativa.

40+ (O VÁCUO PREVIDENCIÁRIO)

A previdência privada ou complementar até mudou o discurso: planejamento sucessório, financeiro e tributário (progressivo ou regressivo), benefício fiscal, mas pelo menos entrega o que vende. Se bem planejada, pode valer a pena ter uma ou duas (VGBL e PGBL) dependendo da declaração do imposto de renda (completo ou simplificado).

Desta forma o planejamento previdenciário estará mais financeiro do que necessariamente previdenciário, porém com foco fino na questão securitária (seguros). Fonte: Bocchi Advogados – https://www.bocchiadvogados.com.br/

To Top