Opas pede que países com vacinas contra Covid excedentes doem "rapidamente" para as Américas
Brasil

Opas pede que países com vacinas contra Covid excedentes doem “rapidamente” para as Américas

Opas pede que países com vacinas contra Covid excedentes doem "rapidamente" para as Américas

A diretora da Organização Pan-Americana da Saúde (Opas), Carissa Etienne, fez um apelo na quarta-feira aos países ao redor do mundo que têm excesso de vacinas contra Covid-19 para que compartilhem “rapidamente” com as Américas, a região do mundo mais atingido pela pandemia de coronavírus.

As Américas precisam de mais 540 milhões de doses para garantir que todos os países da região possam vacinar pelo menos 60% de sua população, acrescentou Etienne em uma entrevista coletiva virtual. Três quartos da população da América Latina e do Caribe ainda não foram totalmente imunizados.

“Instamos os países em todo o mundo com doses excedentes a compartilhá-las rapidamente com nossa região, onde terão um impacto que salvará vidas”, disse Etienne.

“Alguns países já estão implementando reforços para pessoas vacinadas, embora a maioria das pessoas em nossa região ainda não tenha recebido uma dose”, acrescentou. “Lembramos… que a melhor maneira de se proteger contra variantes preocupantes, como a Delta, é garantir que mais pessoas sejam totalmente vacinadas em todos os lugares.”

Etienne mostrou que a vacinação na América está muito desigual. Enquanto no Canadá, Chile e Uruguai mais de 60% de seus habitantes já receberam duas doses de vacinas contra Covid-19, mais de um terço dos países da região ainda lutam para vacinar 20% de sua população.

“As taxas de vacinação permanecem baixas em vários países do Caribe e da América do Sul e a cobertura ainda é de um dígito em países da América Central, como Guatemala, Honduras e Nicarágua”, disse Etienne. “Sem mencionar o Haiti e a Venezuela, onde os frágeis sistemas de saúde e os desafios políticos atrasaram ainda mais a imunização.”

Na última semana, a América relatou mais de 1,6 milhão de novos casos de coronavírus e cerca de 22.000 mortes relacionadas ao vírus, impulsionados pela América do Norte, onde as hospitalizações de jovens e adultos com menos de 50 anos de idade são as mais altas desde o início do pandemia.

A região acumula 40% dos casos e 44% das mortes por Covid-19 de todo o mundo.

(Reportagem de Diego Oré na Cidade do México; Reportagem adicional de Anthony Boadle em Brasília)

tagreuters.com2021binary_LYNXMPEH80248-BASEIMAGE

To Top