Anvisa conclui que morte de adolescente não foi causada por vacina da Pfizer
Brasil

Anvisa conclui que morte de adolescente não foi causada por vacina da Pfizer

Anvisa conclui que morte de adolescente não foi causada por vacina da Pfizer

A Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) concluiu que a morte de uma adolescente de 16 anos em São Paulo não está relacionada à aplicação da vacina contra Covid-19 da Pfizer, informou o órgão nesta quarta-feira.

Segundo a agência, o caso foi detalhado em reunião do Comitê Interinstitucional de Farmacovigilância de Vacinas e outros Imunobiológicos, em que o processo investigativo do caso foi detalhado e validado.

A conclusão é que a adolescente sofria um quadro característico de Púrpura Trombótica Trombocitopênica (PTT), uma doença autoimune, de acordo com a Anvisa.

“A causalidade foi classificada como coincidente, ou seja, descartou-se a possibilidade de o óbito ter sido relacionado à administração da vacina”, disse a agência em comunicado.

A Anvisa explicou ainda que os especialistas investigadores levaram em conta dados de prontuário da paciente e exames complementares, e concluíram ainda que a paciente não apresentava qualquer doença cardiológica.

O óbito da adolescente chegou a motivar uma decisão do ministro da Saúde, Marcelo Queiroga, de suspender a vacinação contra Covid de adolescentes acima de 12 anos sem comorbidades — decisão criticada pela comunidade médica e pelos Estados, que questionaram a orientação.

O ministro do Supremo Tribunal Federal (STF) Ricardo Lewandowski afirmou na terça-feira que cabe aos entes federativos definir se vão promover a vacinação de adolescentes maiores de 12 anos contra Covid-19, citando que a suspensão da imunização por conta do evento “não encontra amparo em evidências acadêmicas, nem em análises estratégicas” realizadas internacionalmente.

tagreuters.com2021binary_LYNXMPEH8L16N-BASEIMAGE

To Top