Próxima semana será decisiva para projeto da desoneração, diz Goergen
Brasil

Próxima semana será decisiva para projeto da desoneração, diz Goergen

Próxima semana será decisiva para projeto da desoneração, diz Goergen

Por Maria Carolina Marcello

BRASÍLIA (Reuters) – Um dos relatores de proposta que prevê a desoneração da folha de pagamento de 17 setores da Economia, o deputado Jerônimo Goergen (PP-RS), afirmou nesta quinta-feira que a próxima semana deve ser decisiva para o andamento da proposta.

Segundo o deputado, que relatou a proposta na Comissão de Finanças e Tributação da Câmara, há uma reunião prevista para a segunda-feira com representantes dos setores, a presidente da Comissão de Constituição e Justiça (CCJ), Bia Kicis (PSL-DF), e o relator da matéria no colegiado, Delegado Marcelo Freitas (PSL-MG).

“Nesta semana nada andou em razão do feriado. Mas a semana que vem será decisiva”, disse o deputado à Reuters.

Dessa conversa de segunda-feira, pode sair a definição de uma data de votação da proposta, que tramita em caráter conclusivo na CCJ. Uma vez analisada pela comissão, ela segue para o Senado sem a necessidade de passar pelo plenário da Câmara.

A prorrogação da desoneração da folha de pagamento conta com o apoio de boa parte do Congresso, já estendida para o fim deste ano, mas ainda enfrenta obstáculos. Um deles diz respeito ao chamado imposto digital como fonte de receita para o incentivo fiscal concedido na intenção de gerar empregos.

Caso inserida no texto do projeto da desoneração, a tributação –ora defendida, ora rechaçada pelo ministro da Economia, Paulo Guedes– tem o condão de ameaçar a aprovação da proposta, segundo Goergen.

“Se depender de imposto digital, não passa”, explicou o deputado.

O parlamentar destacou ainda que o presidente da Câmara, Arthur Lira (PP-AL), tem defendido uma discussão para a desoneração permanente de empresas em geral.

A proposta mais ampla, aliás, chegou a ser debatida pelo próprio Goergen com a Economia, mas de forma paralela ao projeto que trata apenas dos 17 setores.

Não está descartada, no entanto, que seja votada uma alternativa mais ampla ainda neste ano, afirmou o presidente da Câmara mais cedo nesta quinta-feira.

“Lira manifestou a intenção de votar medida definitiva ainda neste ano para a desoneração de todos setores”, disse o relator da proposta na CFT.

“Ele fala em resolver para todos os demais.”

Resta saber se a iniciativa de atrelar a discussão dos demais setores à que já corria na CCJ pode ajudar ou atrapalhar sua aprovação. Há o risco de nenhuma das duas seguir e os setores voltarem a ser onerados.

tagreuters.com2021binary_LYNXMPEH9D1BU-BASEIMAGE

To Top