Forças Armadas não participarão de processo eleitoral só para dar ar de legalidade, diz Bolsonaro
Brasil

Forças Armadas não participarão de processo eleitoral só para dar ar de legalidade, diz Bolsonaro

Forças Armadas não participarão de processo eleitoral só para dar ar de legalidade, diz Bolsonaro

O presidente Jair Bolsonaro afirmou nesta segunda-feira que as Forças Armadas não vão participar do processo eleitoral apenas para dar ar de legalidade, e cobrou uma resposta do presidente do Tribunal Superior Eleitoral (TSE), Luís Roberto Barroso, para superar o que chamou de “fragilidades” no sistema.

Em entrevista à Jovem Pan, Bolsonaro disse que os militares –que participam de um comitê que acompanha o processo de validação das urnas eletrônicas– apresentaram “algumas inconsistências” por ofício ao TSE.

Mas, segundo o presidente, o tribunal ainda não se manifestou. Ele afirmou ainda que, se for o caso, o Ministério da Defesa vai reiterar o ofício.

“Sem essas inconsistências superadas, obviamente o ministro da Defesa, Braga Netto, vai se manifestar”, disse.

Após um período de trégua, Bolsonaro voltou a questionar as urnas eletrônicas.

O presidente era defensor da adoção do voto impresso para as urnas eletrônicas. Ele chegou a afirmar que poderia não aceitar o resultado das eleições, caso o sistema atual não fosse alterado. Entretanto, essa proposta foi derrotada pelo plenário da Câmara dos Deputados, em votação pautada pelo aliado Arthur Lira (PP-AL).

Posteriormente, Bolsonaro passou a chancelar o atual sistema de votação, após um representante das Forças Armadas ter sido convidado a participar de um comitê de acompanhamento de todo o processo.

(Reportagem de Ricardo Brito)

tagreuters.com2022binary_LYNXMPEI090XP-BASEIMAGE

To Top