Moeda de dólar estampará mulher negra pela 1ª vez, com escritora Maya Angelou
Últimas Notícias

Moeda de dólar estampará mulher negra pela 1ª vez, com escritora Maya Angelou

portalmixvalegoogle

FLORIANÓPOLIS, SC (FOLHAPRESS) – De um lado, ex-presidentes brancos. Do outro, mulheres de proeminência nos EUA. O cara ou coroa dos americanos terá pela primeira vez uma mulher negra em suas moedas de 25 centavos, com a imagem gravada da escritora e ativista Maya Angelou.

A Casa da Moeda do país começou a distribuir nesta segunda-feira (10) as moedas, que fazem parte do programa American Women Quarters (moedas de 25 centavos de mulheres americanas, em tradução literal), iniciativa que também inclui Anna May Wong, a primeira estrela de Hollywood sino-americana.

Angelou, morta em 2014 aos 86 anos, ganhou proeminência internacional após a publicação de sua disruptiva autobiografia “Eu Sei Por Que o Pássaro Canta na Gaiola” (Ed. Astral Cultural, R$ 49,90), que traz um forte relato sobre estupro e racismo no segregado Sul americano.

Aos 7, a escritora foi estuprada pelo namorado de sua mãe –depois espancado até a morte em um ataque que alguns acreditam ter sido realizado por tios de Angelou. O trauma do abuso e a morte de seu autor deixou a menina muda por seis anos, período no qual ela começou a escrever.

Chancelada com mais de 30 títulos honorários, a ativista leu “No Pulso da Manhã” na cerimônia de posse do então presidente Bill Clinton, em 1992, marcando a primeira vez que uma mulher negra escreveu e apresentou um poema em celebração do tipo.

Em 2010, o então presidente Barack Obama concedeu a Angelou a Medalha Presidencial da Liberdade. Em 2013, ela recebeu o Prêmio Literário, pela sua contribuição à comunidade literária.

“Toda vez que redesenhamos nossas moedas, temos a chance de dizer algo sobre nosso país -o que valorizamos e como progredimos como sociedade”, disse a secretária do Tesouro, Janet Yellen, em comunicado. “Estou muito orgulhosa que essas moedas celebram as contribuições de algumas das mulheres mais excepcionais da América, incluindo Maya Angelou.”

O American Women Quarters traz ainda moedas com Wilma Mankiller, a primeira chefe principal da Nação Cherokee, Adelina Otero-Warren, líder do movimento sufragista do Novo México, e Sally Ride, astronauta e física que foi a primeira mulher americana a ir ao espaço.

São quatro as moedas americanas: de um, cinco, dez e 25 centavos. Elas trazem, de um lado (cara), as imagens dos ex-presidentes americanos Abraham Lincoln (desde 1909), Thomas Jefferson (desde 1938), Franklin D. Roosevelt (desde 1946), e George Washington (desde 1932), respectivamente.

Do outro lado (coroa), as imagens variam mais com o passar do tempo, e as de 25 centavos têm sido escolhidas para edições comemorativas. Segundo a Casa da Moeda americana, de 1932 a 1998, a coroa dessas moedas mostrava uma águia de asas abertas sobre um maço de flechas, com galhos de oliva abaixo.

Nesse período, apenas nos anos de 1975 e 1976 circulou uma edição especial em celebração ao bicentenário da Independência americana, ocorrida em 1776. A moeda traz um baterista colonial e uma tocha da vitória circundada por 13 estrelas, representando as 13 colônias originais.

Já de 1998 a 2008, a coroa mudou de design cinco vezes ao ano como parte do programa para celebrar os 50 estados. Em 2009, foram seis alterações, desta vez em uma iniciativa para homenagear o Distrito de Columbia e territórios americanos.

Na sequência, de 2010 a 2021, 56 modelos diferentes mostravam parques e atrações nacionais como parte da iniciativa Beautiful Quarters (moedas bonitas de 25 centavos).

O programa agora em vigor, em homenagem às mulheres americanas, permanecerá em vigor por quatro anos, do início de 2022 ao fim de 2025. A cada ano, até cinco novos modelos de coroa podem ser desenhados, ampliando o número de homenageadas.

Além disso, o lado da cara trará o retrato de George Washington olhando para a direita, originalmente esculpido por Laura Gardin Fraser. Este era o desenho recomendado quando o primeiro presidente americano passou a figurar na moeda em 1932, mas o então secretário de Tesouro, Andrew Mallon, escolheu a figura de autoria de John Flannigan, olhando para a esquerda.

To Top