Inflação ao consumidor na China desacelera em dezembro após medidas do governo
Asia

Inflação ao consumidor na China desacelera em dezembro após medidas do governo

Inflação ao consumidor na China desacelera em dezembro após medidas do governo

PEQUIM (Reuters) – Os preços nos portões das fábricas da China subiram mais lentamente do que o esperado em dezembro depois de medidas do governo para conter a alta das matérias-primas, mostraram dados oficiais nesta quarta-feira, deixando espaço para afrouxamento da política monetária.

O índice de preços ao produtor avançou 10,3% em dezembro sobre o ano anterior, mostraram os dados da Agência Nacional de Estatísticas. Economistas consultados em pesquisa da Reuters esperavam avanço de 11,1%, após alta do índice de 12,9% em novembro.

A inflação ao produtor se moderou nos últimos meses em relação à máxima de 26 anos vista em outubro depois que Pequim agiu para estabilizar os preços altos das matérias-primas e aliviar a crise de energia.

“A inflação nos portões das fábricas vai provavelmente mostrar mais tendência de baixa nos próximos meses”, disse Sheana Yue, economista da Capital Economics, em nota.

Já o índice de preços ao consumidor na China avançou 1,5% em dezembro na comparação anual, contra expectativa de alta de 1,8% e avanço de 2,3% em novembro.

Os preços dos alimentos caíram 1,2% no ano, com Yue destacando uma recuperação na oferta de carne suína e vegetais após problemas causados pelo clima ruim em outubro e novembro.

O índice de preços ao consumidor subiu 0,9% em 2021, de 2,5% em 2020.

“A inflação mais baixa abre espaço para o governo afrouxar as políticas monetárias mais. A probabilidade de um corte de juros está aumentando, na nossa visão”, disse Zhiwei Zhang, economista-chefe da Pinpoint Asset Management, em nota.

(Reportagem de Liangping Gao e Gabriel Crossley)

tagreuters.com2022binary_LYNXMPEI0B0E9-BASEIMAGE

To Top