Arsenal supera expulsão, anula Liverpool e segura empate em semifinal
Últimas Notícias

Arsenal supera expulsão, anula Liverpool e segura empate em semifinal

portalmixvalegoogle

SÃO PAULO, SP (UOL/FOLHAPRESS) – Não bastou ter 77% de posse de bola e um jogador a mais por 66 minutos: o Liverpool foi pouco criativo nesta quinta-feira (13), em Anfield, e não saiu do 0 a 0 no clássico contra o Arsenal, no jogo de ida da semifinal da Copa da Liga Inglesa.

O empate deixa tudo para a segunda partida. No calendário original o finalista já estaria definido a esta altura, mas este primeiro jogo precisou ser adiado devido a um surto de Covid-19 no Liverpool. Os times agora se reencontram na quinta-feira (20), e quem se classificar pega o Chelsea na decisão.

Antes disso, os rivais voltam as atenções ao Campeonato Inglês: o Liverpool recebe o Brentford às 11 horas (de Brasília) de domingo (16), e o Arsenal joga clássico fora de casa contra o Tottenham às 13h30.

O JOGO

O Liverpool controlou o primeiro tempo com a intensidade tradicional de um time de Jurgen Klopp, dominando um Arsenal desorganizado e que dava espaços demais. Curiosamente, o time londrino melhorou um pouco após ficar com um a menos na expulsão de Xhaka: continuou atacando pouquíssimo e mal, mas se encontrou na defesa e fechou a porta do rival.

Apesar do domínio e da posse de bola de 80%, o Liverpool sentiu falta de seus desfalques e mostrou pouca criatividade para furar a defesa adversária. Cercou muito, ocupou o campo de ataque e parecia sempre pronto a causar perigo, mas o ataque contra defesa não deu resultado -o jogo chegou ao intervalo sem nenhum chute na direção do gol, dos dois lados.

As condições do jogo seguiram as mesmas na volta do intervalo, com o Liverpool mais disposto a atacar e pressionando pelo gol, mas o Arsenal se portou melhor dentro do que estava disposto a fazer: defender-se. O time visitante mostrou mais dinamismo e conseguiu criar alternativas para não ter que correr atrás do adversário o tempo todo: combinou escapadas rápidas com ataques arrastados; nada muito efetivo, mas fazia o relógio correr.

Já o Liverpool sentiu muita falta dos dribles e da criatividade de Mo Salah e Sadio Mané, que estão na Copa Africana de Nações. Com Diogo Jota e Minamino nas pontas, faltou inventividade. Contra uma marcação em bloco, ninguém propôs soluções, partiu para o drible ou chutou de longa distância —”faltou repertório”. Roberto Firmino, titular no dia em que ficou de fora da convocação para a seleção brasileira, foi discreto demais porque a bola também não chegou.

O primeiro chute no gol do jogo saiu apenas aos 25 minutos do segundo tempo: Saka foi acionado dentro da área e só não abriu o placar porque Alisson cresceu na frente dele. Já aos 44 Minamino teve um rebote limpo na área, sem goleiro, mas chutou por cima e perdeu chance inacreditável. Nos acréscimos a pressão aumentou por força do desespero, mas o Arsenal se segurou como conseguiu.

To Top