Ibovespa tem queda leve, apesar de tombo em Nova York
Business

Ibovespa tem queda leve, apesar de tombo em Nova York

Ibovespa tem queda leve, apesar de tombo em Nova York

O principal índice da Bovespa teve leve queda nesta quinta-feira, após duas altas seguidas, mesmo com o tombo nos mercados em Wall Street por conta de liquidação das ações de tecnologia.

O Ibovespa caiu 0,15%, a 105.529,50 pontos. O volume financeiro da sessão foi de 27,7 bilhões de reais.

Petroleiras, bancos e frigoríficos deram suporte ao índice, enquanto mineradoras e siderúrgicas, assim como varejistas e empresas de tecnologia foram destaques de queda.

Em Nova York, o Nasdaq, focado em ações de tecnologia, cedeu 2,5% após três sessões de alta, liderando as perdas nos principais índices acionários norte-americanos.

O movimento ocorreu em meio à expectativa de início da temporada de balanços naquele país e diante de declarações de autoridades do Federal Reserve (Fed) sobre o cenário de alta de juros nos próximos meses.

A diretora do Fed Lael Brainard sinalizou, em comissão do Senado que julga sua promoção ao cargo de vice-chair da instituição, que o banco central dos EUA está se preparando para começar a subir as taxas de juros em março.

No Brasil, o setor de serviços cresceu 2,4% em novembro ante outubro, informou o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), bem acima da expectativa em pesquisa da Reuters, de alta de 0,2%.

Bruna Marcelino, estrategista-chefe da Necton Investimentos, disse que o movimento do Ibovespa nas últimas sessões — duas altas firmes e certa resistência à queda forte desta quinta-feira em Wall Street — parece ainda “muito pontual”, citando incertezas externas em relação ao ritmo da alta de juros nos Estados Unidos e locais incluindo as cenas fiscal e política.

O índice europeu STOXX 600 teve variação negativa de 0,03%.

DESTAQUES

– VALE ON caiu 1,5%, após duas sessões de alta. Siderúrgicas, metalúrgicas e mineradoras também cederam. Contratos futuros de minério de ferro fecharam em baixa de 0,7% em Dalian, diante de preocupações sobre a demanda de curto prazo pela matéria-prima siderúrgica.

– PETROBRAS PN subiu 2% e a ação ON avançou 2,4%, mesmo com os preços do petróleo em queda após duas sessões de alta. PETRORIO ON ganhou 3,1%.

– MARFRIG ON subiu 5,2%, MINERVA ON ganhou 3,06% e JBS ON avançou 1,73%. BRF teve alta de 0,7%, com anúncio de acordo com o fundo de investimentos soberano da Arábia Saudita para criar uma joint venture de produção de frangos no Oriente Médio.

– SANTANDER BRASIL UNIT subiu 2,94% em sessão positiva para os grandes bancos. ITAÚ UNIBANCO PN avançou 1,85%, depois anunciar compra da corretora digital Ideal. ITAÚSA PN teve alta de 2,8%.

– INTER UNIT recuou 9,9%, LOCAWEB ON cedeu 8,4% e MÉLIUZ ON caiu 4,8%, acompanhando queda dos papéis de tecnologia no exterior.

– REDE D’OR ON subiu 0,5%. O papel reverteu perdas no meio da tarde, após O Estado de S.Paulo publicar que a empresa norte-americana UnitedHealth negocia vender o controle da Amil e que a disputa no momento está acirrada entre a Rede D’Or, e a família Bueno.

– RAIA DROGASIL ON caiu 5%, maior queda desde o início de outubro.

– NATURA ON caiu 5,1%. No varejo, MAGAZINE LUIZA ON cedeu 3,5% e VIA ON recuou 2,9%.

– MOURA DUBEUX ON, que não está no Ibovespa, saltou 11,9%, maior alta desde 1° de novembro, após divulgar dados operacionais do quarto trimestre na noite da véspera.

– LOG-IN ON caiu 12,85%, em dia da conclusão da oferta de aquisição de ações da empresa pela Sas Shipping Agencies Services Sàrl, subsidiária da MSC.

(Por Andre Romani)

tagreuters.com2022binary_LYNXMPEI0C16J-BASEIMAGE

To Top