Brasil

Brasileiros que dizem ter contraído Covid são quase dobro do número oficial, aponta Datafolha

portalmixvalegoogle

SÃO PAULO (Reuters) – Os brasileiros que dizem ter sido diagnosticados com Covid-19 desde o início da pandemia representam cerca de 42 milhões de pessoas, quase o dobro do número de casos divulgado pelo governo federal, mostraram dados de pesquisa Datafolha neste sábado.

De acordo com o Ministério da Saúde, 22.927.203 de casos da doença estavam acumulados até sexta-feira.

A pesquisa indica que um em cada quatro brasileiros com 16 anos de idade ou mais já foi infectado pelo coronavírus. O levantamento ouviu 2.023 pessoas por telefone nesta faixa etária, entre os dias 12 e 13 de janeiro, com margem de erro de dois pontos percentuais para mais ou para menos.

Considerando que a pesquisa foi feita somente com a população acima de 16 anos e os dados oficiais incluem pessoas abaixo desta idade, é possível que a subnotificação seja ainda maior.

A pesquisa mostra que a maior proporção de pessoas com testes positivos para a doença está entre a população de renda mais elevada.

Segundo os dados, 37% dos entrevistados com renda superior a dez salários mínimos disseram ter recebido teste positivo para o vírus. Já entre os que têm renda de até dois salários mínimos, 19% foram detectados com Covid-19.

Com relação aos sintomas, 30% disseram ter tido tosse e nariz entupido (o que representa 50,3 milhões de pessoas), 22% relataram febre (36,9 milhões) e 9% falta de ar (15,1 milhões), no período da pandemia –desde março de 2020.

Quanto à faixa etária, do total de entrevistados entre 16 e 24 anos, 28% disseram ter recebido teste positivo. Entre os que têm 25 a 34 anos, foram 29% infectados. Entre 35 e 44 anos, 31%. A proporção cai para 25% entre as pessoas de 45 e 59 anos. Somente 14% dos entrevistados com 60 anos ou mais relataram resultado positivo para vírus.

O Brasil é o terceiro país com maior número de óbitos pela Covid-19, atrás somente dos Estados Unidos e da Rússia, e o terceiro em contagem de casos confirmados, abaixo de EUA e Índia.

(Por Nayara Figueiredo)

To Top