Europe

Internações hospitalares ainda são a melhor maneira de avaliar crise de Covid-19?

Internações hospitalares ainda são a melhor maneira de avaliar crise de Covid-19?

Por Clara-Laeila Laudette e Alistair Smout

MADRI/LONDRES (Reuters) – Utilizar o número de pessoas hospitalizadas com a Covid-19 para avaliar a gravidade da pandemia pode não oferecer um quadro preciso na era Ômicron, conforme cada vez mais pacientes com vírus estão sendo internados por outros motivos, dizem cientistas. 

Governos focaram no número de hospitalizações para determinar a necessidade por restrições, mas os dados não diferenciam tipicamente entre pessoas internadas pela Covid-19 e as que testam positivo em alas hospitalares durante checagens de rotina. 

“Digamos que você está sofrendo um ataque cardíaco, é hospitalizado e acaba testando positivo”, disse Paul Hunter, professor de medicina na Universidade britânica de East Anglia. 

“A Covid-19 é a causa do seu ataque cardíaco? Sabemos que pode ser, mas não podemos saber a nível individual”, disse. 

No Reino Unido, a variante Ômicron impulsionou os números de casos para patamares recordes desde seu surgimento em novembro, mas o número de pacientes com a Covid-19 em ventilação mecânica pouco mudou, como mostram dados do governo. 

O número geral de pessoas com a Covid-19 no hospital tem aumentado, mas não proporcionalmente acompanhando o aumento de infecções, enquanto a taxa de ocupação em unidades de tratamento intensivo (UTIs) pouco mudou, de acordo com o ministro britânico da Saúde, Sajid Javid. 

Com as taxas de mortes relativamente estáveis apesar do surto de Ômicron, alguns países como a Espanha estão avaliando adotar novas maneiras de acompanhar o vírus, embora os epidemiologistas digam que a mudança dos parâmetros não altera o fato de que os hospitais e suas equipes ainda estão superlotados de pessoas infectadas com Covid. 

Dados de Nova York neste mês mostraram que 42% dos pacientes hospitalizados com a Covid-19 são de chamados casos incidentais, pessoas internadas por outras razões e que descobriram que estão infectadas em testes de rotina. 

O primeiro-ministro britânico Boris Johnson chegou a dizer na semana passada que até 30% das pessoas hospitalizadas com a Covid-19 se infectaram enquanto já estavam internadas –algo que Hunter atribuiu ao esmagador poder de contágio da variante Ômicron. 

Segundo Hunter, o índice de ocupação das UTIs é uma medida melhor da real gravidade de um surto: “Se você está internado na UTI com Covid, você provavelmente está lá por causa da Covid, e não apenas infectado com a doença.” 

tagreuters.com2022binary_LYNXMPEI0I0NW-BASEIMAGE

To Top