Asia

Companhias aéreas dos EUA relatam pequeno impacto após implantação do 5G

Companhias aéreas dos EUA relatam pequeno impacto após implantação do 5G

Por David Shepardson

WASHINGTON (Reuters) – As companhias aéreas dos Estados Unidos disseram na quarta-feira que o lançamento de serviços 5G gerou um pequeno impacto nas viagens aéreas, enquanto a agência de aviação do país (FAA) disse que emitiu novas aprovações para permitir mais pousos em condições de baixa visibilidade.

O aumento das aprovações para aviões Boeing e Airbus significa que cerca de 62% dos aviões comerciais do país podem realizar pousos com mau tempo em alguns aeroportos, acima dos 45% anteriores, disse a FAA.

Muitas transportadoras internacionais cancelaram voos para os EUA ou trocaram a aeronave que faria o rota por preocupações de que sinais de rede 5G, que começaram a ser transmitidos na quarta-feira, pudessem interferir nos sistemas das aeronaves.

A American Airlines disse ter visto um “pequeno impacto operacional”, incluindo alguns atrasos e quatro cancelamentos como resultado do novo serviço 5G e algum impacto adicional em suas frotas regionais.

Espera-se que a FAA emita aprovações adicionais “para nossos Airbus e frotas regionais” em breve, afirmou a empresa.

A United Airlines disse que antecipou “pequenas interrupções em alguns aeroportos devido às restrições restantes relacionadas ao 5G”.

A Southwest Airlines disse que inicialmente “devido às condições climáticas favoráveis, prevemos um impacto mínimo em nossa operação”. Modelos de aeronaves com um dos cinco altímetros liberados pela FAA incluem alguns Boeing 717, 737, 747, 757, 767, 777, MD-10/-11 e Airbus A300, A310, A319, A320, modelos A330, A340, A350 e A380, disse a FAA. “Mesmo com essas aprovações, voos em alguns aeroportos ainda podem ser afetados”, alertou a agência. A operadora Verizon fez acordo para temporariamente não ativar cerca de 500 torres 5G perto de aeroportos, disseram fontes à Reuters, ou menos de 10% da implantação planejada da tecnologia, enquanto as companhias aéreas e o governo trabalham em uma solução permanente.

tagreuters.com2022binary_LYNXMPEI0J0V7-BASEIMAGE

To Top