Asia

Coreia do Norte dispara dois mísseis e EUA condenam série de testes

Coreia do Norte dispara dois mísseis e EUA condenam série de testes

Por Josh Smith

SEUL (Reuters) – A Coreia do Norte disparou o que pareciam ser dois mísseis balísticos nesta quinta-feira, atraindo críticas dos Estados Unidos à sexta rodada de testes de mísseis norte-coreanos neste mês. 

A série de testes de mísseis é uma das maiores já lançadas pela Coreia do Norte em um mês, segundo analistas, enquanto o país começa 2022 com uma demonstração estonteante de novos armamentos operacionais. 

O Estado-Maior Conjunto da Coreia do Sul (JCS) disse que detectou o lançamento do que presumiu serem dois mísseis balísticos por volta das 8h no horário local, a partir da região de Hamhung, na costa leste da Coreia do Norte. Os projéteis viajaram por cerca de 190 km até uma altitude de 20km, acrescentou o JCS. 

A Coreia do Norte anunciou neste mês que iria intensificar suas defesas contra os Estados Unidos e avalia retomar “todas as atividades que haviam sido temporariamente suspensas”, em uma aparente referência a uma moratória autoimposta de testes de armas nucleares e mísseis de longo alcance. 

O lançamento aconteceu após a Coreia do Norte disparar dois mísseis de cruzeiro no mar a partir de sua costa leste na terça-feira, acrescentando ainda mais às tensões pelos testes. 

No início do mês, a Coreia do Norte testou mísseis táticos guiados, dois “mísseis hipersônicos” capazes de serem manobrados e de atingirem altas velocidades após o lançamento, e um sistema ferroviário de lançamento de mísseis. 

“O regime de Kim Jong Un está desenvolvendo uma diversidade impressionante de armas ofensivas, apesar dos recursos limitados e dos desafios econômicos”, disse Leif-Eric Easley, professor de Assuntos Internacionais da Universidade Ewha em Seul. 

Alguns testes buscam desenvolver novas capacidades, especialmente às de evasão das defesas de mísseis, enquanto outros lançamentos tentam demonstrar prontidão e versatilidade dos mísseis que a Coreia do Norte já destacou, disse. 

“Alguns observadores já sugeriram que os lançamentos frequentes do regime de Kim são um pedido de atenção, mas Pyongyang está correndo muito no que considera uma corrida armamentista contra Seul”, disse Easley. 

Em um discurso à Conferência do Desarmamento patrocinada pela Organização das Nações Unidas (ONU) na terça-feira, o embaixador da Coreia do Norte nas Nações Unidas em Genebra, Han Tae Song, acusou os Estados Unidos de promover centenas de “exercícios conjuntos de guerra” enquanto envia equipamentos militares ofensivos de alta tecnologia para a Coreia do Sul e armas nucleares estratégicas para a região. 

“Isso está ameaçando seriamente a segurança do nosso Estado”, disse Han. 

Um porta-voz do Departamento de Estado dos EUA condenou os lançamentos como uma violação de várias resoluções do Conselho de Segurança da ONU e como uma ameaça aos vizinhos da Coreia do Norte e à comunidade internacional. 

Os Estados Unidos continuam comprometidos com uma abordagem diplomática e pedem que a Coreia do Norte participe do diálogo, disse o porta-voz. 

(Reportagem de Josh Smith; Reportagem adicional de Chang-Ran Kim e Satoshi Sugiyama em Tóquio, Stephanie Ulmer-Nebehay em Genebra, Dan Whitcomb em Los Angeles e Hyonhee Shin em Seul)

tagreuters.com2022binary_LYNXMPEI0Q0IQ-BASEIMAGE

To Top