Business

Índice avança com exterior e caminha para interromper série de quedas semanais

Índice avança com exterior e caminha para interromper série de quedas semanais

Por Andre Romani

SÃO PAULO (Reuters) – O principal índice da bolsa brasileira subia forte nesta sexta-feira, diante de disparada das ações nos Estados Unidos, em nova sessão marcada localmente por reações a diversos balanços corporativos.

Vale, Petrobras, Suzano e alguns bancos davam suporte ao índice, enquanto B3 e Rede D’Or cediam após resultados.

Às 11:44 (de Brasília), o Ibovespa subia 1,67%, a 107.449,53 pontos, terceira alta consecutiva. O índice caminhava para ganhos de 2,4% na semana, interrompendo cinco semanas consecutivas de queda. O volume financeiro era de 7,9 bilhões de reais.

“Temos hoje um movimentação de recuperação externa, isso ajuda a amparar a alta do Ibovespa por aqui”, diz Camila Abdelmalack, economista na Veedha Investimentos.

Em Wall Street, os principais índices de ações avançavam entre 1,6% e 3,4%, no encerramento de semana marcada por temores de política monetária mais agressiva nos EUA, dada a inflação elevada, e consequente desaceleração econômica. As ações do Twitter caíam quase 10%, depois que Elon Musk suspendeu temporariamente o acordo para compra da rede social, dizendo que aguarda informações sobre a proporção de contas falsas.

Para Abdelmalack, o cenário de preocupação com a economia global “deve voltar a pesar nos próximos dias”, mas queda relevante recente dos papéis ajuda a tornar os ativos mais atrativos.

Além disso, o presidente do banco central norte-americano, Jerome Powell, repetiu na véspera à noite a intenção da instituição em elevar os juros em 0,5 ponto percentual em cada uma das próximas duas reuniões de política monetária, o que corrobora cenário mais positivo na sessão, segundo a economista, já que parte do mercado vê possibilidade de algum avanço de 0,75 ponto.

DESTAQUES

– LOCAWEB ON disparava 9,7%, após a empresa, que presta serviços que incluem hospedagem de sites, registrar lucro líquido de 29,7 milhões de reais no primeiro trimestre, ante 9 milhões um ano antes.

– AMERICANAS ON tinha alta de 5,8%. A empresa divulgou na véspera prejuízo líquido de 137 milhões de reais nos três meses encerrados em março, menos do que o prejuízo de 224 milhões um ano antes, com crescimento de vendas e ganho de margem operacional, apesar de elevado volume de queima de caixa e pior resultado financeiro. A rival MAGAZINE LUIZA ON, que divulga resultado na próxima semana, tinha valorização 6%.

– VALE ON ganhava 0,9%, após alta de 1% dos contratos futuros do minério de ferro em Dalian. Siderúrgicas avançavam.

– B3 ON recuava 2,5%, depois que o lucro líquido da operadora da bolsa brasileira diminuiu 12,3% no primeiro trimestre. A empresa elevou as projeções de despesas mais investimentos, de depreciação e amortização e de despesas atreladas ao faturamento.

– REDE D’OR ON cedia 0,1%, após ter caído firme mais cedo, depois do lucro líquido do grupo de saúde cair 44% no primeiro trimestre e vir abaixo da projeção de analistas. A empresa tem uma série de conversas em curso na frente de fusões e aquisições, disseram executivos em conferência com analistas. SULAMÉRICA UNIT, que está em processo de venda à D’Or, retraía 1,5%.

– PETROBRAS PN avançava 1,3%, em meio à alta de mais de 2% do petróleo. A estatal disse na véspera que não mantém conversas com o Conselho Administrativo de Defesa Econômica (Cade) sobre eventuais mudanças em sua política de preços, após notícias na imprensa sobre o assunto.

– YDUQS ON saltava 11,1%, após o grupo de educação superior ver seu lucro líquido avançar 75,9% no primeiro trimestre, impulsionado por aumento de receita. Também no setor de educação, COGNA ON aumentava 0,4%, depois de divulgar expansão das receitas e do lucro ajustado no período.

– CPFL ENERGIA ON crescia 4,2%, na sequência de publicação de alta de 20,9% no lucro líquido do primeiro trimestre. ENERGISA UNIT valorizava-se 1,5%, à medida que lucro recorrente da companhia cresceu 41% na mesma comparação.

– BRF ON disparava 11,6% e tinha a maior alta percentual do Ibovespa.

– MRV ON apontava acréscimo de 4,6%, JHSF ON estava 0,2% no negativo e EZTEC ON exibia alta de 0,1%. As três empresas do setor imobiliário soltaram resultados na véspera.

Para ver as maiores baixas do Ibovespa, clique em

Para ver as maiores altas do Ibovespa, clique em

(Edição Alberto Alerigi Jr.)

tagreuters.com2022binary_LYNXNPEI4C0O6-BASEIMAGE

To Top