Benefícios

Golpe da CNH acontece pela internet e rede social

CNH DETRAN CARTEIRA DE MOTORISTA
rafapress/Shutterstock.com

Golpe da CNH acontece pela internet e rede social Dona de casa do ES quase caiu na fraude. No site do Detran-ES é possível conferir se a autoescola é ou não legalizada.

Uma dona de casa do Espírito Santo quase caiu em um golpe ao tentar tirar a carteira de motorista. Uma pessoa que dizia que trabalhava em uma autoescola e prometia a habilitação sem que a mulher precisasse comparecer às aulas e nem fazer provas.

A mulher, que pediu para não ser identificada, disse que pesquisou na internet “qual autoescola está com o valor mais em conta na categoria A e B?” e enviou uma mensagem para o telefone celular de uma suposta autoescola que apareceu na busca.

A resposta foi o áudio transcrito abaixo:

“Processo sem burocracia, livre de aulas e exames, a gente faz todas as suas aprovações por nossa autoescola, que são as partes burocráticas, a gente faz todas as aprovações, tá bom. É uma CNH [Carteira Nacional de Habilitação] 100% original e quente, emitida dentro do Detran da sua cidade, com prontuário, Renach [Registro Nacional de Condutores Habilitados] e registro no sistema do Detran da sua cidade”.

“Eu achei bem estranho, né. Eu pensei: como que o Detran vai dar uma carteira pra uma pessoa que nunca fez uma aula? A pessoa vai sair matando todo mundo aí?”, falou a mulher.

O diretor do Departamento Estadual de Trânsito do Espírito Santo (Detran-ES), Harlen da Silva, garantiu que o órgão não emite habilitações nas condições oferecidas pelo golpista.

“Isso não existe. Isso é um ato ilegal, uma tentativa muitas vezes de fraudadores, estelionatários ganharem dinheiro da população e muitas vezes pessoas caem nisso, vendo a facilidade, uma possível facilidade, e caem nesse golpe”, declarou Halen.

O número de telefone para o qual a mulher enviou a mensagem é de São Paulo. A dona de casa logo percebeu que seria um golpe, mas continuou a conversa. A habilitação nas categorias A e B custaria R$ 1,6 mil. O golpista pediu que ela enviasse cópia do RG, do CPF, uma foto e uma folha em branco com uma assinatura dela.

“Eu fui e falei com ele: ‘olha, mas mandar uma folha assinada em branco? Fica difícil, né. Você não tem um contrato?’ Aí ele me mandou um contrato de uma autoescola normal, com as aulas normais, né”, relatou a mulher.

O contrato trazia o nome e o registro de uma autoescola localizada em Campinas (SP). Mas o golpista caiu em uma contradição. Em uma das conversas, ele passou para a dona de casa um número de registro diferente. De uma autoescola que fica no interior do Pará.

A reportagem tentou entrar em contato com o homem mas as ligações não foram atendidas.

No site do Detran-ES é possível conferir se a autoescola é ou não legalizada. São mais de 200 em todo o estado.

“Eles são obrigados a se credenciar junto ao órgão de trânsito, que é o Detran. Então se não estiver no site do Detran, não assine nada, denuncie, porque você pode estar entrando num golpe”, orientou o diretor do órgão.

A Polícia Civil orientou que a dona de casa procure uma delegacia e registre uma ocorrência para dar início a uma investigação.

“Eu senti uma sensação de impotência. Ou seja, você tá na sua casa, você vive dignamente, né, com aquilo, né, que entra dentro da sua casa com o suor do trabalho e de repente você se vê numa situação dessa daí e vai ter muita gente que vai cair, infelizmente, vai cair num golpe desse né”, lamentou a mulher.

A reportagem entrou em contato com a autoescola de Campinas, que respondeu que não conhece e não trabalha com Renato Yorran, nome usado pela pessoa que falou com a dona de casa. A autoescola do Pará não respondeu. Fonte: G1

To Top