Asia

Xangai se prepara para batalha final contra a Covid, Pequim lida com surto persistente

portalmixvalegoogle

XANGAI/PEQUIM (Reuters) – Xangai apertou seu lockdown contra a Covid-19 em o que espera ser sua última semana de batalha contra o vírus antes de começar a gradualmente aliviar as restrições, enquanto Pequim continua enfrentando seu surto bem menor, mas persistente.

O polo comercial da China de 25 milhões de habitantes quer deixar para trás o seu doloroso lockdown de seis semanas no fim deste mês. Autoridades neste sábado manifestaram a esperança de que uma última rodada de restrições erradicará as últimas infecções do pior surto de Covid-19 do país durante a pandemia.

Muitos moradores da cidade mais populosa da nação, que puderam sair de suas casas cerca de uma semana atrás para curtas caminhadas ou rápidas compras no mercado, receberam orientações recentemente para ficar em casa por três dias em um período “de silêncio”.

Muitos prédios foram informados ao longo da noite que as restrições seriam estendidas até sexta-feira. O período “de silêncio” significa que moradores não podem sair de casa e, em alguns casos, também significa que não pode haver entregas.

Centenas de milhões de chineses em dezenas de cidades estão vivendo sob restrições contra a Covid-19 de algum nível. As medidas estão prejudicando o consumo e a produção da segunda maior economia do mundo e abalando o comércio global e as cadeias de abastecimento.

Autoridades de Xangai disseram no sábado que o número de pacientes em hospitais de quarentena caiu para 50.000, um quinto do pico registrado no mês passado.

A cidade registrou mais de 1.500 casos diários de coronavírus, abaixo dos mais de 2.000 do dia anterior –todos em áreas sob os controles mais rígidos.

Pequim registrou 56 casos diários, acima dos 50. A capital detectou algumas dezenas de novos casos quase todos os dias desde que as primeiras infecções de seu surto foram descobertas em 22 de abril.

Autoridades da capital negaram nesta semana os rumores de um bloqueio iminente, pedindo às pessoas que não entrem em pânico, mas que fiquem em casa. Os moradores pareciam estar prestando atenção ao conselho, já que muitas das ruas de Pequim estavam estranhamente silenciosas.

Testes em massa na maior parte da cidade se tornaram uma rotina quase diária. As autoridades da capital já haviam proibido serviços de refeições em restaurantes, fecharam alguns shoppings, locais de entretenimento e turísticos, suspenderam seções dos sistemas de ônibus, metrô e táxi e impuseram bloqueios em alguns edifícios residenciais.

((Por Engen Tham, Zhuzhu Cui e Brenda Goh em Xangai, e redações de Pequim e Xangai))

To Top